Invest

Embraer, TIM e Allos: as novidades da carteira de ações do BTG para junho

Carteira recomendada de ações do banco defende que o Ibovespa está barato e tem oportunidades

Painel de cotações da B3: veja recomendações para o mês de junho (Germano Lüders/Exame)

Painel de cotações da B3: veja recomendações para o mês de junho (Germano Lüders/Exame)

Beatriz Quesada
Beatriz Quesada

Repórter de Invest

Publicado em 3 de junho de 2024 às 12h28.

Última atualização em 3 de junho de 2024 às 13h10.

Após a queda de 3,04% em maio, muitos investidores estão receosos com o desempenho do Ibovespa. É possível, no entanto, que os principais riscos para o índice já estejam precificados. É o que acreditam os analistas do BTG Pactual (do mesmo grupo de controle da EXAME).

“Depois de mais um desempenho fraco em maio, ainda acreditamos que o Ibovespa está muito barato (8,9x P/L 12 meses à frente) e que já precifica perspectivas fiscais piores no Brasil e cortes mais lentos/menores nas taxas de juro dos Estados Unidos”, escreveram os analistas.

A expectativa do BTG é que a bolsa brasileira não enfrente nenhum evento doméstico com potencial de destravar as ações. “Mas acreditamos que uma melhora nas perspectivas de corte de juros nos EUA pode ser suficiente para desencadear uma performance melhor.”

Para abril, o banco incluiu três novas ações em sua carteira recomendada: Embraer (EMBR3), TIM (TIMS3) e Allos (ALOS3). Veja abaixo as perspectivas do banco para os três novos papéis da carteira:

Por que investir na Embraer (EMBR3)

Embraer (EMBR3) entra no lugar de Suzano (SUZB3) quando o assunto é exposição cambial. Segundo os analistas, a tese de Suzano mudou desde que começou a ser ventilada na imprensa a possibilidade de aquisição da International Papers. Os papéis acumularam em resposta a uma queda acumulada de 16% em maio.

“A Embraer nos fornece exposição cambial e tem uma positiva dinâmica de resultados (a principal crítica é a incrível performance das ações este ano)”, escreveram.

Por que investir na TIM (TIMS3)

A TIM (TIMS3), por sua vez, entrou na tese defensiva substituindo Ambev (ABEV3), após forte queda da empresa de telefonia em maio – as ações acumularam baixa de 14,3% no último mês.

“Projetamos que suas ações estão sendo negociadas com um yield de fluxo de caixa de 11,5% e 13,5% para 2024 e 2025, e um dividend yield de 8,7% e 10,2%.” 

Por que investir na Allos (ALOS3)

A operadora de shoppings Allos (ALOS3), por sua vez, entra na carteira no lugar de Mercado Livre (MELI:NASDAQ) após rali de 15% das ações da varejista em maio. “A Allos é negociada a uma TIR real de aproximadamente 12%, deve retornar um yield de 10% aos investidores este ano com recompras de ações e sinalizou vendas de portfólio de em torno de R$1 bilhão.”

Como é composta a carteira recomendada de ações do BTG Pactual (BPAC11)

A carteira recomendada de ações do BTG Pactual é composta por dez ativos.

A carteira tem como objetivo capturar as melhores oportunidades e performances do mercado de ações. O processo de seleção dos ativos é realizado pelo time de estrategistas do Research do Banco BTG Pactual, com base em uma análise conjunta ao time de analistas, sem considerar necessariamente índices de referência ou liquidez.

Em fevereiro, a carteira recomendada de ações do BTG Pactual teve um desempenho de -6,2%, ante uma performance de -3,0% do Ibovespa e -3,1% do IBRX-50. Desde outubro de 2009, quando Carlos E. Sequeira assumiu a carteira, a rentabilidade acumulada é de 392,1%, ante 136,7% do Ibovespa e 98,5% do IBX-50.

Acompanhe tudo sobre:EmbraerTIMBTG PactualAções

Mais de Invest

“Não tente acertar o futuro”: a lição de Howard Marks a investidores brasileiros

Renda variável x renda fixa: como escolher o que é melhor para mim?

“Continuamos acreditando que o governo vai fazer o certo”, diz CEO do Santander

Mega-Sena acumulada: quanto rendem R$ 65 milhões na poupança

Mais na Exame