Invest

Como investir em 2022? Cenário de bancos ignora risco de pandemia

Relatórios com projeções para a economia não colocam a piora da pandemia, com novos regimes de lockdown, como anunciado pela Áustria nesta sexta, entre os principais riscos

Centro de testagem de Covid em Berlim: Alemanha estuda novas medidas de restrição à circulação de pessoas com o aumento de casos | Foto: Tobias Schwarz/AFP (Tobias SCHWARZ/AFP)

Centro de testagem de Covid em Berlim: Alemanha estuda novas medidas de restrição à circulação de pessoas com o aumento de casos | Foto: Tobias Schwarz/AFP (Tobias SCHWARZ/AFP)

B

Bloomberg

Publicado em 20 de novembro de 2021 às 08h10.

Por Nikos Chrysoloras e Thyagaraju Adinarayan

Um novo choque da pandemia pode pegar operadores e estrategistas de investimento desprevenidos.

Enquanto países da Europa anunciam novas restrições que incluem lockdown total, relatórios de pesquisa que destacam riscos e oportunidades para 2022 parecem ignorar completamente o coronavírus. A palavra “lockdown” nem mesmo é mencionada em previsões para a Europa no ano que vem divulgadas pelo Goldman Sachs e o Morgan Stanley.

Em levantamento do Bank of America nesta semana, gestores de fundos classificaram a Covid-19 como apenas o quinto maior risco de cauda, sendo que apenas 5% mostraram preocupação sobre o possível impacto nos mercados. Inflação, aumento dos juros pelos bancos centrais, estagnação do crescimento chinês e bolhas de ativos estão no topo da lista.

Em relatório de 72 páginas sobre as perspectivas para 2022 divulgado nesta semana, a UBS Global Wealth Management afirma que seu cenário central é que a atual onda da pandemia “não se intensifique a ponto de novos lockdowns serem necessários”. O relatório foi publicado um dia antes das restrições da Áustria e alertas de que a Alemanha pode ter que seguir pelo mesmo caminho.

Os mercados acionários europeus ainda sinalizam otimismo. Enquanto ações de viagens e lazer registraram forte queda com as notícias, o índice de referência Europe Stoxx 600 perdeu apenas 0,6% na sexta-feira, dia 19, muito longe do pânico do mercado causado pelos lockdowns do ano passado.

Um relatório do HSBC de outubro detalhando o que poderia dar errado em 2022 talvez ajude a explicar a reação mais tranquila. Uma nova onda de Covid não precisa ser necessariamente uma má notícia para os mercados, porque “os sinais de superaquecimento da demanda podem desaparecer, o que reduziria a preocupação em torno da estagflação e do aperto prematuro dos bancos centrais”, escreveram estrategistas liderados por Max Kettner.

Mapa da Europa com o status de medidas dos governos diante da pandemia em novembro de 2021

Mapa da Europa com o status de medidas dos governos diante da pandemia em novembro de 2021 | Imagem: Bloomberg (Bloomberg/Reprodução)

Acompanhe tudo sobre:bank-of-americaGoldman SachsHSBCMorgan StanleyPandemiaUBS

Mais de Invest

Renda passiva: veja como fazer o dinheiro trabalhar por você

Casal que ganhou R$ 324 milhões em loteria americana perde fortuna com investimentos mal-sucedidos

INSS volta a exigir perícia médica para prorrogar 'auxílio-doença'; entenda

Conheça as vantagens do Cartão BTG Black e saiba como pedir o seu

Mais na Exame