Invest

Banco do Brasil tem maior lucro do setor no 2º tri, de R$ 8,78 bilhões

Rentabilidade do banco vai a 21% e é a maior entre os grandes bancos varejistas do país

Banco do Brasil: estatal anuncia pagamento de R$ 2,27 bi em proventos junto com resultado (Luiz Souza/NurPhoto/Getty Images)

Banco do Brasil: estatal anuncia pagamento de R$ 2,27 bi em proventos junto com resultado (Luiz Souza/NurPhoto/Getty Images)

Beatriz Quesada
Beatriz Quesada

Repórter de Invest

Publicado em 9 de agosto de 2023 às 18h54.

Última atualização em 10 de agosto de 2023 às 13h49.

O Banco do Brasil (BBAS3) apresentou lucro líquido ajustado de R$ 8,785 bilhões no primeiro trimestre de 2023, crescimento de 11,7% na comparação com o mesmo período de 2022. Na comparação trimestral, o indicador subiu 2,8%. 

O resultado ficou acima das expectativas dos analistas compiladas pela Bloomberg, que estimavam um lucro de R$ 8,663 bilhões. O indicador foi o maior do setor bancário no trimestre, acima do registrado por Itaú, Bradesco e Santander.

A rentabilidade do BB medida pelo retorno sobre patrimônio líquido (ROE), alcançou 21,3% — maior patamar entre os grandes bancos varejistas. O resultado apresentou uma alta de 0,5 ponto percentual (p.p.). em base anual, e baixa de 0,3 p.p. frente ao trimestre anterior.

“No trimestre, o resultado foi influenciado pelo bom desempenho comercial e pelo crescimento das carteiras de crédito que impactaram positivamente a margem financeira bruta e as receitas de prestação de serviços, especialmente àquelas vinculadas ao desembolso de crédito”, informou o BB no comunicado dos resultados.

A carteira de crédito ampliada somou R$ 1,045 trilhão no segundo trimestre, com alta de 13,6% em igual base de comparação anual e expansão de 1,2% na trimestral.

Por sua vez, a margem financeira bruta alcançou R$ 22,887 bilhões no período, crescimento de 34,2% frente ao mesmo período do ano anterior e de 8,2% em comparação ao trimestre passado.

Já as receitas de prestação de serviços atingiram R$ 8,286 bilhões — aumento de 5,6% em 12 meses e de 1,9% ante o primeiro trimestre.

A inadimplência subiu para 2,73% em junho, ante 2,00% na mesma janela do ano anterior. No trimestre passado, o indicador estava em 2,62%.

Aumentaram também as provisões para devedores duvidosos (PDD), que somaram R$ 7,176 bilhões no segundo trimestre – crescimento de 143% em base anual. Ante o primeiro trimestre, o volume alocado para PDD aumentou 22,6%.

Dividendos e JCP

Além dos resultados, o Banco do Brasil anunciou nesta noite que irá pagar R$ 2,27 bilhões em dividendos e juros sobre capital próprio (JCP) referentes aos resultados do segundo trimestre. Serão pagos R$ 410 milhões em dividendos e R$ 1,86 bilhão via JCP.

Veja também

Acompanhe tudo sobre:BancosBB – Banco do BrasilBalanços

Mais de Invest

Como declarar doações no Imposto de Renda 2024

Banco do Brasil suspenderá parcelas de consignado INSS para clientes do RS por 60 dias

Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto; veja como renegociar a dívida

Caixa paga Bolsa Família para novos beneficiários do RS; veja como sacar

Mais na Exame