Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:

A temporada de balanços do segundo trimestre ganha força na próxima quarta-feira, 26, com a divulgação do resultado do Santander (SANB11). A divisão brasileira do banco espanhol abre a temporada de resultados para o setor, que deve continuar enfrentando desafios.

A frente de crédito – grande fonte de receita dos bancos – deve continuar pressionada para reduzir o nível de inadimplência, que ainda não mostrou sinais de estabilização. O cenário, no entanto, não deve ser o mesmo para todo o setor. 

Entre os bancos incumbentes, Itaú (ITUB4) e Banco do Brasil (BBAS3) estão com perspectivas melhores, enquanto Bradesco (BBDC4) e Santander (SANB11) podem continuar pressionados.

O que esperar do balanço do Santander?

O mercado espera um lucro de R$ 2,46 bilhões para o Santander, uma queda de 30% na comparação anual. No entanto, o resultado representaria uma alta de 35% frente ao apurado no primeiro trimestre.

“O resultado deve continuar pressionado nas linhas de provisão para crédito com a inadimplência ainda em alta, tesouraria com resultados negativos por conta da Selic elevada e a margem com clientes sob pressão por conta de um mix mais cauteloso” escreveram, em relatório, os analistas da Genial Investimentos.

A Genial destaca ainda que foi prematura a decisão do Santander de remanejar provisões provisões para contingências fiscais – no último trimestre, os valores foram direcionadas para devedores duvidosos.

“A decisão se provou prematura, pois o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu pela incidência de PIS e COFINS sobre receitas financeiras ocorridas antes de 2014, então esperamos que o banco volte a constituir essas despesas ao longo do tempo”, afirmaram.

O que esperar do balanço do Bradesco?

A expectativa do mercado é de um lucro de R$ 4,48 bilhões para o Bradesco, o que representa um recuo de 36,5% frente ao registrado no mesmo período do ano anterior. Na comparação trimestral, o lucro deve crescer 5%.

Neste próximo resultado, o banco deve continuar sendo pressionado pela inadimplência segundo as projeções da própria gestão do Bradesco. O CEO Octavio de Lazari alertou que esse seria o caso ao comentar os resultados do primeiro trimestre com jornalistas. A expectativa é que o ponto de virada venha ao longo do restante do semestre.

“Esperamos que o banco confirme que o segundo trimestre foi o pico para a inadimplência. Em termos macroeconômicos, o Bradesco é uma aposta positiva em um ambiente de taxas de juros mais baixas [a expectativa é de corte na Selic a partir da reunião de agosto]”, informou relatório do Itaú BBA.

O que esperar do balanço do Itaú?

No último trimestre o Itaú lucrou mais que Bradesco e Santander juntos, e, se as projeções estiverem corretas, o cenário deve se repetir. 

O consenso de mercado espera um lucro líquido de R$ 8,68 bilhões, um crescimento de 16,1% frente ao mesmo período de 2022. Em comparação com os três primeiros meses do ano, os ganhos do Itaú seriam menores, de 2,4%.

Com uma carteira de crédito mais exposta à alta renda, o Itaú conseguiu controlar a inadimplência antes dos pares. A expectativa da Genial é que os resultados entre os grandes bancos continuem polarizados, com “Itaú e Banco do Brasil entregando boa rentabilidade (ROE de 20%) e Santander e Bradesco com baixo ROE, um pouco acima de 10%”.

O que esperar do balanço do Banco do Brasil?

No primeiro trimestre deste ano o Banco do Brasil teve o maior lucro do setor bancário. Porém, a expectativa para os próximos resultados é que a estatal fique levemente abaixo do Itaú. O consenso projeta um lucro líquido de R$ 8,66 bilhões para o BB, alta de 15% na comparação anual e de 6,7% na trimestral.

O BB conta com uma carteira de crédito diferenciada dos pares, com maior exposição ao agronegócio e ao empréstimo consignado para pessoa física – linhas com menor inadimplência. 

“Esperamos que o BB divulgue a melhor carteira de crédito entre os grandes bancos, com crescimento de 3% na base trimestral e um aumento modesto da inadimplência”, avaliaram os analistas do Itaú BBA.

Veja também

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Tegra (TEGA3) compra terreno por R$ 370 milhões em maior negócio imobiliário do RJ no século 21

seloMercados

Tegra (TEGA3) compra terreno por R$ 370 milhões em maior negócio imobiliário do RJ no século 21

Há 3 horas

Petróleo fecha em baixa após sessão volátil, ainda com decepção com cortes da Opep+

seloMercados

Petróleo fecha em baixa após sessão volátil, ainda com decepção com cortes da Opep+

Há 5 horas

Ouro fecha em baixa, seguindo correção após tocar máxima histórica

seloMercados

Ouro fecha em baixa, seguindo correção após tocar máxima histórica

Há 5 horas

China: problemas de dívidas ocultas entram no radar de autoridades e do mercado

seloMercados

China: problemas de dívidas ocultas entram no radar de autoridades e do mercado

Há 6 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

CPFL fortalece sua estratégia ESG com compromissos ambiciosos para 2030

CPFL fortalece sua estratégia ESG com compromissos ambiciosos para 2030

Uso de dados será principal desafio na gestão de pessoas em 2024

Uso de dados será principal desafio na gestão de pessoas em 2024

Unipar é reconhecida como Empresa Pró-Ética

Unipar é reconhecida como Empresa Pró-Ética

Pós-graduação pode ser alternativa para quem quer dar uma guinada na carreira

Pós-graduação pode ser alternativa para quem quer dar uma guinada na carreira

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais