Azul (AZUL4) tem aumento de 21,5% no tráfego em agosto

Companhia aérea também teve um aumento na taxa de capacidade, com crescimento de 16,5% na comparação anual
Azul (AZUL4): Crescimento em voos internacionais foi maior do que dos voos domésticos (Azul/Divulgação)
Azul (AZUL4): Crescimento em voos internacionais foi maior do que dos voos domésticos (Azul/Divulgação)
Roberto Bodetti
Roberto BodettiPublicado em 12/09/2022 às 16:59.

A Azul (AZUL4) divulgou nesta segunda-feira, 12, os resultados preliminares de tráfego em agosto. O relatório divulgado pela companhia mostra um crescimento de 21,5% no tráfego consolidado de passageiros (RPK) no mês de agosto em comparação com o mesmo período no ano passado.

A Azul também registrou um aumento na taxa de capacidade (ASK): ao todo foram 16,5% de crescimento se comparado com o mês de agosto de 2021. A taxa de ocupação registrada pela companhia foi de 81,3%, número que representa um crescimento de 3,4% no comparativo ano a ano.

O cálculo do RPK é realizado pelo número de passageiros pagantes pelos quilômetros que foram voados, já o ASK é o número referente aos assentos livres multiplicado pelos quilômetros voados.

Houve crescimento tanto em RPK e ASK para voos em território brasileiro e para voos internacionais. Porém, o crescimento das métricas para voos fora do Brasil foi superior.

O aumento do RPK para voos domésticos foi de 4,3% se comparado com agosto de 2021, enquanto o aumento do RPK para voos internacionais no mesmo mês foi de 283,1%. Em ASK, os aumentos foram de 2,7% e 202,1% para voos nacionais e internacionais respectivamente.

O CEO da Azul, John Rodgerson, destacou em comunicado que os ganhos devem continuar. "Em agosto vimos, mais uma vez, um ambiente de demanda robusto na malha da Azul. As tendências de vendas continuam fortes, com tarifas médias bem acima dos níveis de 2019 e esperamos que essa tendência na receita continue", completa Rodgerson.

Resultados da Azul (AZUL4) no 2T22

No segundo trimestre de 2022 a Azul registrou uma receita líquida de R$ 3,9 bilhões, número que representa um crescimento de 130,5% se comparado com o mesmo período no ano passado.

Já o prejuízo líquido ajustado da companhia de aviação foi de R$ 721,4 milhões, mostrando um recuo de 39,4% se comparado com o resultado de 2021 na mesma época.

Quanto aos lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) da Azul, o resultado dos meses de abril a junho de 2022 foi de R$ 614,6 milhões.

VEJA MAIS: