Mercados

Ações da Glencore desabam mais de 30% com temores de dívida

A empresa perdeu bilhões de dólares em valor de mercado em um momento em que busca vender ativos e levantar caixa para reduzir seu estoque de dívida


	Mina de carvão da Glencore: a queda nas ações se espalhou pelo setor de mineração do Reino Unido
 (Glencore via Bloomberg)

Mina de carvão da Glencore: a queda nas ações se espalhou pelo setor de mineração do Reino Unido (Glencore via Bloomberg)

DR

Da Redação

Publicado em 28 de setembro de 2015 às 10h37.

Londres - As ações da Glencore chegaram a cair mais de 30 por cento para uma mínima histórica nesta segunda-feira com temores de que a empresa de mineração e trading de commodities não tenha capacidade de suportar uma queda nos preços dos metais.

A empresa perdeu bilhões de dólares em valor de mercado em um momento em que busca vender ativos e levantar caixa para reduzir seu estoque de dívida que chega a 30 bilhões de dólares, tentando proteger sua nota de crédito após os preços dos seus principais produtos, como cobre e carvão, despencarem.

A queda nas ações se espalhou pelo setor de mineração do Reino Unido, que também sofre com a desaceleração de mercados emergentes e a queda dos preços das commodities. O índice de mineração FTSE 350 chegou a tocar o menor nível desde dezembro de 2008.

Operadores também citaram um relatório da Investec que levantou dúvidas sobre o nível de preço das ações da Glencore caso os preços a vista dos metais não melhore. A nota destacou altos níveis de endividamento e necessidade de profundas reestruturações.

"Se os principais preços da commodities permanecerem nos níveis atuais, nossa análise indica que, na ausência de reestruturação substancial, quase todo o valor de mercado da Glencore e da Anglo American pode evaporar", disseram analistas da Investec.

A Glencore não quis comentar.

As ações da Glencore tinham queda de 24 por cento às 10:04 (horário de Brasília), tendo chegado a cair 31,4 por cento mais cedo.

Acompanhe tudo sobre:AçõesCommoditiesEmpresasEmpresas suíçasGlencoreGlencore Xstrata

Mais de Mercados

“Não tente acertar o futuro”: a lição de Howard Marks a investidores brasileiros

“Continuamos acreditando que o governo vai fazer o certo”, diz CEO do Santander

Ibovespa vira e fecha em queda pressionado por NY

Balanço do Santander, PMI dos EUA e da zona do euro, Tesla e Campos Neto: o que move o mercado

Mais na Exame