Acompanhe:

Tesouro Selic: o que é e como investir em títulos pós-fixados?

Entenda como funcionam os títulos pós-fixados, como o Tesouro Selic, e conheça suas características, as vantagens e as desvantagens

 (./Thinkstock)

(./Thinkstock)

D
Da Redação

7 de julho de 2022, 17h01

O Tesouro pós-fixado é um título do Tesouro Direto que remunera o investidor de acordo com a variação de um indexador, que é a taxa Selic, a taxa básica de juros da economia fixada pelo Banco Central.

Isso significa que é possível estimar o retorno do investimento ao longo do tempo acompanhando a Selic, ainda que só será possível saber exatamente quanto o título rendeu na data do resgate.

Como funcionam os títulos pós-fixados?

O Tesouro Pós-fixado é um investimento de renda fixa considerado um dos mais seguros existentes, uma vez que o indexador do rendimento é também a referência para o custo do dinheiro no mercado.

Como o indexador é a taxa Selic, isso significa que o rendimento sobe quando a taxa básica é elevada pelo Banco Central; e diminui quando a taxa é reduzida.  

Quais são os títulos do Tesouro Pós-fixado

Existe apenas um título do Tesouro Direto com rendimento pós-fixado: o Tesouro Selic, que era chamado anteriormente de Letra Financeira do Tesouro, a LFT. Como o nome já diz, seu rendimento está atrelado à Selic, a taxa básica de juros da economia.

O Tesouro Selic é um investimento muito utilizado para reserva de emergência, uma vez que conta com segurança, liquidez (isso significa que é facilmente negociável) e não sofre grandes variações de rendimento com a chamada marcação a mercado (atualização do título pelo seu preço de mercado), como é o caso dos títulos do Tesouro Prefixados. 

Outros títulos do Tesouro Direto

Além dos títulos Prefixados e Pós-fixados, existem os títulos híbridos, que oferecem aos investidores tanto uma taxa prefixada quanto uma rentabilidade que é atrelada a um indexador. 

Esses títulos híbridos são o Tesouro IPCA + (a antiga Nota do Tesouro Nacional -- Série B Principal, ou apenas NTN-B Principal) e o Tesouro IPCA+ com juros semestrais (a antiga Nota do Tesouro Nacional -- Série B, ou apenas NTN-B). Eles remuneram os investidores com uma taxa predefinida no momento da compra somada à variação da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).