Future of Money

Vítimas da FTX serão ressarcidas com juros após nova gestão recuperar bilhões além da dívida

Clientes da corretora de criptomoedas receberão cerca de 118% do valor perdido em falência caso plano seja aprovado pela justiça dos EUA; novo CEO cita “resultado inacreditável”

FTX (Reuters/Reuters)

FTX (Reuters/Reuters)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 8 de maio de 2024 às 16h22.

Tudo sobreCriptomoedas
Saiba mais

A FTX, corretora de criptomoedas que protagonizou um dos maiores escândalos do mercado cripto em 2022, deve pagar seus clientes o valor integral da dívida mais juros ainda este ano, de acordo com um novo plano de falência apresentado à justiça dos EUA na última terça-feira, 7.

O plano de reorganização prevê que 98% dos credores da FTX recuperem cerca de 118% de seu dinheiro dentro de 60 dias após a sua aprovação no tribunal de Delaware, que está como responsável pelo caso de falência.

  • O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

Em novembro de 2022, a então terceira maior corretora de criptomoedas do mundo colapsou após o vazamento de informações sobre o uso indevido do dinheiro de clientes. Com isso, a FTX deixou um prejuízo bilionário para seus clientes e seu fundador e CEO, Sam Bankman-Fried, foi julgado e recentemente condenado a 25 anos de prisão.

As expectativas de que as vítimas da FTX fossem ressarcidas eram baixas, mas sob a gestão do novo CEO John Ray III, a empresa conseguiu reunir fundos mais que suficientes para isso.

"Resultado inacreditável"

“Em qualquer falência, esse é um resultado inacreditável”, disse John Ray III à Bloomberg.

No início do ano, a FTX tinha apenas US$ 6,4 bilhões em caixa, um valor muito abaixo da dívida de aproximadamente US$ 11 bilhões. Agora, a empresa pretende ter entre US$ 14,5 e US$ 16,3 bilhões em caixa quando o plano de reorganização for aprovado. Uma audiência para discutí-lo está marcada para junho.

“Conforme divulgado anteriormente, a FTX.com tinha um déficit enorme no momento do pedido do Capítulo 11 em novembro de 2022 – detendo apenas 0,1% do bitcoin e apenas 1,2% de ether que os clientes acreditavam que ela detinha. Consequentemente, os devedores não puderam se beneficiar da valorização desses tokens perdidos durante esses casos do Capítulo 11”, afirmou um comunicado de imprensa.

Caso o plano seja aprovado, as vítimas da FTX devem receber o valor integral de suas perdas mais juros “pelo valor temporal dos seus investimentos”.

A nova gestão da FTX nega que o valor tenha sido recuperado através da valorização de criptomoedas como a Solana, que compunha boa parte do portfólio restante da corretora e apresentou valorização surpreendente.

Além disso, a FTX também vendeu participações em startups investidas por seu braço de venture capital, como a empresa de inteligência artificial Anthropic, que rendeu US$ 884 milhões à empresa falida.

O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok  

Leia mais

Acompanhe tudo sobre:CriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

JPMorgan diz que mercado cripto terá nova alta em agosto, com queda nas vendas de bitcoin

Bitcoin encerra semana com recuperação, mas riscos com pressão de venda continuam

SEC encerra investigações sobre criptomoeda pareada ao dólar BUSD

MicroStrategy, maior detentora de bitcoin, anuncia desdobramento de ações nos EUA

Mais na Exame