Obra de Picasso que foi queimada para virar NFT é exibida em metaverso brasileiro

Quadro “Fumeur V” do pintor espanhol Pablo Picasso ficou conhecido como “o Picasso queimado” após iniciativa de grupo de artistas anônimos e agora será exibido em metaverso brasileiro
 (Unique.One / Burned Picasso/Divulgação)
(Unique.One / Burned Picasso/Divulgação)
M
Mariana Maria Silva

Publicado em 30/09/2022 às 18:50.

Última atualização em 30/09/2022 às 19:01.

Uma galeria de arte em um metaverso brasileiro acaba de receber um quadro de um dos nomes mais importantes da arte: Pablo Picasso. O quadro Fumeur V, que foi queimado para viver eternamente no blockchain, vai integrar a exposição da NFTFY, empresa especializada no investimento em tokens não fungíveis (NFTs) a partir da fracionalização.

Apelidado de The Burned Picasso ou “o Picasso queimado” após uma iniciativa de um grupo de artistas anônimos dos Estados Unidos, o token não fungível gerado após a queima do quadro estará no prédio da NFTFY no metaverso brasileiro Xepa.World.

O espaço foi inaugurado durante o Blockchain.Rio, evento na capital carioca que ocorreu entre os dias 1º e 4 de setembro de 2022. No entanto, pessoas de todo o mundo já podem acessar a galeria de arte através de celulares, tablets, computadores ou óculos de realidade virtual (VR) de forma gratuita pelo site do Xepa.World.

(Mynt/Divulgação)

Criado em 2021, o Xepa.World é um metaverso brasileiro dedicado à arte e ao entretenimento, que já conta com três prédios virtuais em funcionamento e outros sete projetos em fase de construção.

Também no último ano, a obra renomeada como The Burned Picasso virou assunto em todo o mundo por conta da iniciativa de um grupo de artistas anônimos americanos. Eles queimaram o quadro, originalmente chamado de Fumeur V do pintor espanhol Pablo Picasso, gerando controvérsia e discussão nas redes.

O objetivo da queima do quadro de 1964 era eternizá-lo no blockchain. “O Picasso queimado vive para sempre no blockchain”, disse a página do projeto na época. Apesar de representarem novas formas de receita para artistas, muitos ainda se questionam se os NFTs seriam arte ou não.

Para a exibição do “Picasso queimado”, Gibran Sirena, arquiteto do Xepa.World, criou uma instalação especial que remonta à performance onde o quadro foi queimado. “Essa provocação nos faz questionar a linha que separa o físico do digital e qual o papel que o mundo virtual tem em nossas vidas. É um prazer imenso poder receber essa obra em nosso metaverso, por isso pensamos numa expografia única que conta um pouco dessa transformação”, afirmou Gibran.

Outros artistas relevantes para o mercado de NFTs também participarão da galeria de arte com suas obras. São eles: PFP Supply Co, Nouns, Lil Nouns e Diego Tovar. Além da obra The Burned Picasso, Construtores do Metaverso estará presente na exibição. A obra é inspirada em Os Operários produzida em 1933 por Tarsila do Amaral, que é de posse compartilhada da Bankless Brasil DAO, uma organização descentralizada em blockchain.

Integrantes da coleção de NFTs mais valiosa do mundo, os Bored Apes estarão presentes. Trata-se do NFT de número #6899 da Mutant Ape Yatch Club, que atualmente está avaliada em cerca de 14,025 ETH ou R$ 23.543,47.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok