MetaMask vai ajudar usuários brasileiros a reaver criptomoedas roubadas

Sistema gratuito para usuário da carteira de criptoativos está disponível no Brasil e em outros países e pretende reunir vítimas e provas de golpes e fraudes com ativos digitais
Parceria com Asset Reality pode ajudar vítimas de golpes e fraudes com criptomoedas (Bloomberg/Getty Images)
Parceria com Asset Reality pode ajudar vítimas de golpes e fraudes com criptomoedas (Bloomberg/Getty Images)
Por Gabriel RubinsteinnPublicado em 26/05/2022 11:36 | Última atualização em 26/05/2022 11:36Tempo de Leitura: 4 min de leitura

Principal carteira de criptoativos do mundo, a MetaMask anunciou nesta quinta-feira, 26, uma parceria para tentar ajudar vítimas de golpes e fraudes com criptomoedas a reaver os seus ativos digitais roubados. O Brasil é um dos países atendidos pelo novo sistema.

(Mynt/Divulgação)

Com o crescimento do setor de cripto e blockchain nos últimos anos, cresceu consideravelmente o número de golpes e fraudes envolvendo ativos digitais e essas ações criminosas já movimentam bilhões de dólares todos os anos. Ao mesmo tempo, aumentou também o número de soluções e aplicações que utilizam a tecnologia, permitindo avanços inclusive na luta contra agentes mal intencionados deste universo.

A Asset Reality, com a qual a MetaMask anunciou a parceria, é uma dessas novas ferramentas. A plataforma servirá como uma entidade centralizadora de informações enviadas por vítimas de golpes e fraudes, a fim de criar casos mais robustos, com mais provas e evidências dos crimes, e então ter maiores chances de recuperar os fundos roubados ou obtidos ilegalmente.

Em geral, vítimas de golpes com criptoativos, sejam pirâmides financeiras, corretoras mal intencionadas ou que simplesmente fecham as portas e deixam os usuários a ver navios, ou simplesmente um ataque hacker, precisam trabalhar por conta própria para reunir provas e acionar judicialmente as partes envolvidas. Isso gera custos elevados e, muitas vezes, esbarra em questões técnicas, já que as vítimas muitas vezes não tem conhecimento suficiente para reunir as informações necessárias.

Com a parceria, MetaMask e Asset Reality vão oferecer uma espécie de consultoria às vítimas, sobre quais dados coletar e como se proteger, além de ajudar a investigar as ações fraudulentas e centralizar as informações obtidas, possivelmente reunindo dezenas ou centenas de vítimas de um mesmo golpe, permitindo uma ação judicial coletiva e com muito mais provas do crime.

“Ajudar os usuários a investigar e recuperar fundos perdidos é uma ferramenta essencial de uma estratégia ampla que estamos executando continuamente, que inclui melhoria da segurança, educação do usuário e novas maneiras de fazer backup de ativos. Por meio dessa parceria pioneira no setor com a Asset Reality, a ConsenSys e a MetaMask desejam permitir que as vítimas se unam, criem casos contra essas operações fraudulentas e as levem à Justiça. É muito importante que as vítimas de hacks se apresentem, por menores que sejam. Eles podem revelar ou ser o ponto de partida de uma investigação mais ampla e criar a oportunidade de agregar reivindicações para iniciar uma possível ação legal”, disse Dan Finlay, cofundador da MetaMask.

Comentando sobre a colaboração, Aidan Larkin, CEO da Asset Reality, disse: “Quando um usuário tem fundos roubados, muitas vezes por ter sido enganado para entregar suas senhas ou frases de recuperação, eles geralmente não têm à quem recorrer, o que é incrivelmente difícil para eles emocionalmente e financeiramente. Vemos perdas em todo o ecossistema de criptomoedas, que variam de centenas a milhões de dólares em valor. Estamos orgulhosos de fazer parceria com a ConsenSys e a MetaMask para fornecer este importante serviço que, em última análise, melhorará a experiência dos usuários ao lidar com essas situações.”

O serviço é gratuito para todos os usuários da MetaMask e está disponível no Brasil e em países como Estados Unidos, Reino Unido, Filipinas, Vietnã, França, Alemanha e Nigéria - que é onde se concentram a maioria dos golpes envolvendo criptoativos. Como pertence à ConsenSys, a MetaMask também pode se beneficiar de outras plataformas da empresa para conduzir as investigações e, considerando que transações em blockchain são totalmente rastreáveis, é possível imaginar a construção de casos sólidos capazes de aumentar as chances das vítimas na Justiça.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok