Future of Money

ETFs de bitcoin perdem R$ 2,8 bilhões em investimentos e batem recorde negativo

Mudança na percepção sobre cortes de juros nos Estados Unidos gerou aversão ao risco no mercado e prejudicou fundos de criptomoedas

ETFs de bitcoin foram aprovados pela SEC em 2024 (Reprodução/Reprodução)

ETFs de bitcoin foram aprovados pela SEC em 2024 (Reprodução/Reprodução)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 2 de maio de 2024 às 11h15.

Os ETFs de bitcoin nos Estados Unidos registraram na última quarta-feira, 1º, um recorde negativo: a maior saída de investimentos em um único dia. Os fundos negociados em bolsa registraram um saldo de perda de US$ 563 milhões (cerca de R$ 2,8 bilhões, na cotação atual), prejudicados por uma maior aversão ao risco no mercado após sinalizações do Federal Reserve.

Os dados que confirmaram o recorde foram divulgados pela plataforma SosoValue. O levantamento indica ainda que o fundo da Fidelity foi o que liderou as perdas, com saldo negativo de US$ 191 milhões. Pela primeira vez, um ETF ficou à frente do da Grayscale nas saídas, já que o fundo da gestora perdeu US$ 167 milhões.

O terceiro maior fluxo de saída foi registrado pelo ETF de bitcoin da Ark Invest, com US$ 98,1 milhões. Já o ETF da BlackRock, que tem liderado o segmento desde a estreia em janeiro deste ano, registrou seu primeiro saldo diário negativo, com uma perda de US$ 36,9 milhões.

Dentre os 11 ETFs, 10 registraram perdas no dia. A exceção foi o ETF da Hashdex, que fechou a sessão de quarta-feira com um saldo zerado entre aportes e saques. Considerando os investimentos desde a estreia, o grupo soma US$ 11,2 bilhões em aportes realizados por investidores.

O analista Nate Geraci, presidente da empresa de consultoria The ETF Store, comentou em uma publicação no X, antigo Twitter, sobre o saldo negativo e destacou que "é isso que os ETFs fazem. Os fluxos de aportes não seguem uma linha reta", indicando que o movimento não é incomum.

Geraci pontuou ainda que o ETF de ouro da BlackRock tem um acumulado de perdas em 2024 na casa de US$ 1 bilhão, mesmo com o ativo acumulando ganhos de 16% em 2024. Já James Seyffart, analista de criptoativos da Bloomberg, pontuou que "esses ETFs de bitcoin estão operando suavemente. Aportes e saques fazem parte da vida normal de um ETF".

As perdas de investimento foram associadas principalmente ao resultado da reunião do Federal Reserve na última quarta-feira. O banco central dos Estados Unidos manteve a taxa atual de juros e sinalizou que as condições atuais da economia do país impedem cortes na taxa no curto prazo. Ele reforçou que será preciso observar os próximos dados econômicos do país para determinar os próximos passos do Fed.

Os comentários desanimaram investidores que esperavam que o Fed poderia realizar cortes de juros nas reuniões de julho e setembro. O cenário de persistência de juros altos aumenta a aversão ao risco e prejudica principalmente ativos considerados de risco, caso das criptomoedas, resultando em uma queda generalizada no setor e nas perdas dos ETFs.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:BitcoinCriptomoedasETFs

Mais de Future of Money

Worldcoin, projeto de Sam Altman, nega acusações de insider trading de criptomoeda própria

Donald Trump vai cobrar R$ 300 mil por fotos em evento sobre bitcoin

Drex: Campos Neto diz que soluções para problemas estão 'muito perto' e prevê 'boas notícias'

Análise: criptomoedas são destaque em ambiente macroeconômico desafiador

Mais na Exame