CEO da Binance tem quase 100% de seu patrimônio bilionário em criptoativos

Changpeng Zhao, o CZ, contou em entrevista que não possui moedas fiduciárias e quase todo o seu patrimônio bilionário está em criptomoedas

Logo depois de ser citado na Lista Anual de Bilionários da Forbes, Changpeng Zhao, CEO da Binance, afirmou que tem quase 100% do seu patrimônio de 1,9 bilhão de dólares investido em criptoativos e que só utiliza moedas fiduciárias em último caso.

"Eu uso o Binance Card [cartão de débito da exchange, ainda não disponível no Brasil] em tudo que aceita cartão. Existem alguns pagamentos que só aceitam moedas fiduciárias. Eu converto apenas o necessário para fazer o pagamento, e o faço. Eu não guardo dinheiro fiduciário por muito tempo", disse, no Twitter.

Antes porém, em entrevista à Bloomberg, já havia dito que não possui quase nenhum patrimônio além das criptomoedas. Perguntado sobre quando da sua carteira está alocada em ativos digitais, respondeu: "Eu diria que provavelmente quase 100%. Eu não tenho nenhuma moeda fiduciária, e os bens físicos que possuo são provavelmente insignificantes em relação ao meu patrimônio líquido. É uma mudança de conceito. Não estou usando cripto para comprar moedas fiduciárias, não uso cripto para comprar casas. Eu só quero guardar cripto. E eu não pretendo trocar minhas criptos por dinheiro no futuro".

CZ, como é conhecido, não informou quais criptoativos compõem sua carteira, mas contou que conheceu o bitcoin em 2013, 4 anos antes de criar a Binance, hoje maior exchange de criptoativos do mundo por volume de negociação. Segundo o executivo, antes de comprar a maior criptomoeda do mundo, estudou sobre o assunto e chegou a vender seu apartamento para investir no ativo digital.

"Demorou um pouco para eu investir. Na época, meu único patrimônio era um apartmento em Xangai. Comprei um pouco de bitcoin e usei, brinquei com ele. E gostei imediatamente. Fiquei desesperado para vender o apartamento, mas demorou um bom tempo. Eu vendi meu apartamento para comprar bitcoin e também larguei o meu emprego", contou.

Naquele momento, foi trabalhar na Blockchain.info, carteira de criptoativos que hoje é uma das maiores empresas de criptoativos e blockchain do mundo. "Na época, só tinha o fundador Ben Reeves e o CEO Nic Cary. Fui o terceiro cara a entrar".

Apesar de ser um exemplo de empreendedor de sucesso da indústria de criptoativos, o investimento de CZ, de alocar quase a totalidade de sua carteira em criptoativos, é arriscada. Para a maioria dos especialistas, a proporção mais recomendada é de 1% a 3% para investidores mais conservadores, e de 5% a 10% para os mais agressivos. Como não existe uma regra ou verdade definitiva sobre o assunto, o melhor caminho é considerar suas condições e necessidades individuais e se expor apenas aos riscos que estiver disposto a correr.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.