Cripto em compasso de espera: volume baixo e risco de queda para BTC e ETH

Apesar do baixo volume de negociação sinalizar queda na pressão vendedora, os principais criptoativos do mercado ainda podem enfrentar novas quedas, de acordo com analista do BTG Pactual
Bitcoin e ether estão mais de 50% abaixo de suas máximas históricas (Getty Images/znm)
Bitcoin e ether estão mais de 50% abaixo de suas máximas históricas (Getty Images/znm)
Por Lucas CostaPublicado em 23/05/2022 12:14 | Última atualização em 23/05/2022 12:56Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Por Lucas Costa*

O bitcoin tem estabilidade próximo dos US$ 30 mil, sem grandes novidades no aspecto macro. O movimento de queda tem desaceleração, enquanto observamos diminuição no volume de negociação desde o dia 12 de maio — evento da queda da Luna.

O gráfico diário tem uma tendência de baixa no curto prazo, mas que perde força nos últimos dias. O movimento de referência ainda é aquele com topo em US$ 48,24 mil e fundo em US$ 32,84 mil, que pode ser usado para traçar as expansões de Fibonacci (objetivos de preço baseados nas proporções de Fibonacci).

O cenário de queda pode ter uma desaceleração, dado que o preço se manteve estável perto dos US$ 30 mil e temos proximidade da média móvel de 21 períodos.

O cenário continua de baixa, mas podemos ter o teste dos US$ 32,84 mil (fundo perdido) em uma tentativa de recuperação. Destacamos que a diminuição do volume mostra uma diminuição do ímpeto vendedor e favorece o teste do fundo anterior perdido. A falha de rompimento em US$ 32,84 mil pode trazer mais volume para o bitcoin, com próximos alvos de Fibonacci em US$ 26,46 mil (141,4%) e US$ 23,32 mil  (161,8%).

Fonte: https://br.tradingview.com/ (Lucas Costa/Divulgação)

Ethereum (ETH/USD)

O ether, a criptomoeda nativa da rede Ethereum, também tem diminuição no seu volume de negociação, sinalizando um mercado em compasso de espera e diminuição da pressão vendedora.

O preço continua trabalhando abaixo da média móvel de 21 períodos em tendência de baixa, movimento que foi impulsionado pela perda do fundo do pivô de baixa em US$ 2,48 mil. A tentativa de recuperação enfrenta resistências em US$ 3 mil e US$ 2,48 mil, mas depende de uma melhora no cenário de percepção de risco global.

O movimento atual sugere a continuidade da tendência de baixa, dado que o principal suporte em US$ 1,8 mil está muito próximo e qualquer movimento mais forte pode testar essa região. Os próximos dias são muito importantes para saber se achamos um fundo de mercado ou não, um gerenciamento adequado de risco e diminuição de posições alavancadas permite o investidor ter mais clareza nesse tipo de cenário.

Estudamos na Análise Técnica que o volume possui um caráter cíclico, logo, momentos de baixo volume precedem momentos com intensificação das negociações.

Fonte: https://br.tradingview.com/ (Lucas Costa/Divulgação)

*Lucas Costa é mestre em administração e economista pela Universidade Federal de Juiz de Fora, atuou como pesquisador acadêmico e professor nas temáticas de blockchain, criptomoedas e comportamento de consumo, sendo um dos fundadores do grupo de pesquisa Blockchain UFJF. Foi operador de câmbio em mesa proprietária com foco em análise técnica, e trader pessoa física em mercado futuro. Atualmente, é analista técnico CNPI do BTG Pactual digital, e apresenta a sala ao vivo de análises de maior audiência do Brasil.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok