Brasileiros têm R$276 bilhões em cripto, o triplo de ações dos EUA, diz BC

Total em ações de empresas dos EUA é de R$ 88 bilhões, segundo Banco Central; apenas em agosto, brasileiros compraram quase R$ 3 bilhões em criptoativos

Investidores brasileiros compraram 2,7 bilhões de reais em criptomoedas apenas no último mês de agosto, e o total para o ano de 2021 – que ainda não chegou ao fim – é de 23,3 bilhões de reais, segundo anúncio do Banco Central na última sexta-feira, 15.

De acordo com o BC, o mês de maio representou o pico de compra de criptomoedas por parte dos brasileiros, com um volume de 4,1 bilhões de reais. Desde então, esse número vem caindo, com 3,8 bilhões em junho, e 3,2 bilhões em julho, mas ainda permanece maior do que nos meses de fevereiro e março.

Fazendo uma estimativa, o total de ativos digitais em posse dos brasileiros pode somar até 276 bilhões de reais, em comparação com os 88 bilhões em ações norte-americanas, afirmou o diretor de políticas monetárias do BC, Bruno Serra, na última sexta-feira, 15.

Em agosto, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou que os brasileiros detinham aproximadamente 220 bilhões de reais em criptomoedas.

“É um negócio muito grande, e chama a atenção de reguladores em todo o mundo, não apenas no Brasil”, afirmou Roberto Campos Neto.

De acordo com Serra, o BC tem um “mercado cambial muito controlado”, que está ciente de todas as transações relacionadas às criptomoedas. “Nós temos contratos cambiais para todas as transações, e conseguimos mapear 100% delas”, afirmou.

Desde agosto, a transferência de criptomoedas entre residentes e não residentes do Brasil começou a ser divulgada pelo Banco Central na conta de bens do balanço de pagamentos. As criptomoedas são consideradas bens, ou seja, ativo não financeiro e produzido, seguindo as recomendações do Fundo Monetário Internacional (FMI).

De acordo com Serra, o investimento em criptoativos é uma forma de buscar por diversificação. “Eu penso que essa dinâmica de diversificação offshore é uma dinâmica que pode ter vindo para ficar. Muitos canais de diversificação foram abertos. A regulação cambial está se tornando mais branda nesse sentido; é algo que precisamos considerar”, afirmou.

“É um fluxo de uma mão só. Pelo custo da energia, o Brasil não produz criptoativos, é apenas importador”.

Texto traduzido por Mariana Maria Silva e republicado com autorização da Coindesk

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também