Future of Money

Bitcoin oferece "imortalidade econômica" e vai valer US$ 10 milhões, diz executivo

Entusiasta da criptomoeda, Michael Saylor foi responsável por tornar a empresa MicroStrategy a maior detentora institucional do ativo

Bitcoin disparou mais de 60% nos primeiros meses de 2024 (Reprodução/Reprodução)

Bitcoin disparou mais de 60% nos primeiros meses de 2024 (Reprodução/Reprodução)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 24 de junho de 2024 às 14h02.

Michael Saylor, presidente-executivo e cofundador da empresa de inteligência de negócios MicroStrategy, recentemente falou sobre as vantagens de investir no bitcoin, chamando a atenção de investidores após afirmar que a maior criptomoeda do mercado vai disparar até chegar a uma cotação de US$ 10 milhões.

Responsável por tornar a MicroStrategy a maior detentora institucional da criptomoeda, Saylor disse durante uma entrevista a um podcast divulgada nesta semana que "o preço do bitcoin vai subir para dez milhões de dólares por moeda”, em mais uma das previsões ousadas do executivo sobre o ativo.

Ao explicar seu raciocínio, Saylor questionou: “Qual é a diferença entre dinheiro perfeito e dinheiro imperfeito? O dinheiro perfeito é a imortalidade econômica. O dinheiro imperfeito é quando todos nós temos uma vida curta e brutal".

Na visão do executivo, o bitcoin serviria como uma espécie de "imortalidade econômica". Segundo ele, tudo o que veio antes da criptomoeda teria se tornado obsoleto do ponto de vista econômico após a introdução do ativo.

“A economia é pseudociência antes do [criador do bitcoin] Satoshi Nakamoto. É uma arte liberal quase religiosa e está cheia de opiniões, preceitos e preconceitos das pessoas. … Todos os economistas antes de Satoshi tentavam elaborar as leis da economia com conchas e contas de vidro e pedaços de papel e instrumentos de crédito", argumenta.

  • Uma nova era da economia digital está acontecendo bem diante dos seus olhos. Não perca tempo nem fique para trás: abra sua conta na Mynt e invista com o apoio de especialistas e com curadoria dos melhores criptoativos para você investir.  

A visão de Saylor gira em torno da ideia de que as empresas que investem em bitcoin estão posicionadas para durar mais do que aquelas que permanecem "atoladas no antigo mal-estar corporativo": “A expectativa média de vida de uma empresa é algo em torno de 10 anos. Estamos falando em eliminar a mortalidade corporativa, estamos falando em ampliar facilmente a vitalidade econômica por um fator de 10, talvez por um fator de cem, talvez por um fator de um milhão".

Apesar das afirmações ousadas, Saylor não entrou em detalhes sobre como, exatamente, essa imortalidade funcionaria. O executivo é conhecido por ser um dos principais entusiastas da criptomoeda e também comentou que espera que a China reverta sua posição e passe a adotar o bitcoin nos próximos anos.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:BitcoinCriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Hiperautomação, blockchain e Web3: o futuro da transformação digital

Independência financeira: empresas e corretoras cripto estão preparadas para esta demanda?

Drex: quase metade dos brasileiros não está convencida de adotar o real digital, revela pesquisa

Segurança, nuvem e IA generativa de mãos dadas no mercado financeiro

Mais na Exame