• AALR3 R$ 20,19 0.65
  • AAPL34 R$ 68,38 -2.17
  • ABCB4 R$ 17,15 3.25
  • ABEV3 R$ 14,13 -0.63
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,73 0.47
  • AGRO3 R$ 31,14 1.70
  • ALPA4 R$ 21,03 0.43
  • ALSO3 R$ 19,51 0.83
  • ALUP11 R$ 26,59 0.72
  • AMAR3 R$ 2,44 3.83
  • AMBP3 R$ 30,46 -2.34
  • AMER3 R$ 23,54 2.57
  • AMZO34 R$ 68,33 0.96
  • ANIM3 R$ 5,54 0.00
  • ARZZ3 R$ 81,15 -0.86
  • ASAI3 R$ 15,43 0.19
  • AZUL4 R$ 21,29 0.28
  • B3SA3 R$ 11,69 1.21
  • BBAS3 R$ 35,69 -0.61
  • AALR3 R$ 20,19 0.65
  • AAPL34 R$ 68,38 -2.17
  • ABCB4 R$ 17,15 3.25
  • ABEV3 R$ 14,13 -0.63
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,73 0.47
  • AGRO3 R$ 31,14 1.70
  • ALPA4 R$ 21,03 0.43
  • ALSO3 R$ 19,51 0.83
  • ALUP11 R$ 26,59 0.72
  • AMAR3 R$ 2,44 3.83
  • AMBP3 R$ 30,46 -2.34
  • AMER3 R$ 23,54 2.57
  • AMZO34 R$ 68,33 0.96
  • ANIM3 R$ 5,54 0.00
  • ARZZ3 R$ 81,15 -0.86
  • ASAI3 R$ 15,43 0.19
  • AZUL4 R$ 21,29 0.28
  • B3SA3 R$ 11,69 1.21
  • BBAS3 R$ 35,69 -0.61
Abra sua conta no BTG

Enjoei: venda de roupas e utensílios usados é positivo para a sociedade

Relatório da Exame Research mostra como o brechó online contribui para repensar a indústria da moda, uma das mais poluentes do mundo
A indústria da moda é responsável por 4% das emissões globais de CO2eq e por 20% da poluição industrial nos oceanos (Getty Images/Yagi Studio)
A indústria da moda é responsável por 4% das emissões globais de CO2eq e por 20% da poluição industrial nos oceanos (Getty Images/Yagi Studio)
Por Renata Antunes, Renata Faber e Victoria AuadaPublicado em 02/01/2021 09:25 | Última atualização em 02/01/2021 09:25Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A indústria da moda é uma das mais poluentes do mundo, sendo responsável por 4% das emissões globais de CO2eq e por 20% da poluição industrial nos oceanos; e os produtos têxteis representam ao redor de 5% dos rejeitos nos aterros sanitários. O impacto social também é grande, pois, infelizmente, essa é uma indústria em que alguns fornecedores ainda têm práticas inaceitáveis – trabalho infantil, salários extremamente baixos e condições de trabalho precárias.

Para diminuir o impacto negativo da indústria da moda, é preciso repensar o processo produtivo, aumentar o uso e a durabilidade das peças e transformar esse segmento em uma indústria circular, ao invés do atual modelo linear. Na economia circular, os produtos são reciclados ao final do uso, enquanto o modelo linear tem um ciclo de produção, consumo e descarte das peças.

Assine a newsletter Exame.ESG e descubra como a sustentabilidade empresarial impacta diretamente a performance de seus investimentos

É nesse contexto que o Enjoei surge como uma das soluções para essa indústria. O Enjoei foi fundado em 2009 como um blog para vender roupas e acessórios usados. Mas o negocio cresceu, se profissionalizou, em no início de novembro o Enjoei fez seu IPO na B3, e suas ações passaram a ser negociadas sob o código ENJU3.

Comprar uma peça usada prolonga o ciclo de uso dessa peça, e evita que uma nova peça seja produzida (evitando, assim, o impacto ambiental e social negativo de produção dessa peça). Além disso, se as pessoas começarem a ver as peças de roupa como algo que pode ser revendido, provavelmente buscarão peças de melhor qualidade, que tenham valor de revenda — aumentando a chance de consumir peças feitas por empresas que tenham preocupação ambiental e social. Por fim, comprar algo de segunda mão, por um preço menor que algo novo, faz com que pessoas que não tenham condições de adquirir um produto novo tenham acesso a esse produto.

O mercado de roupas/acessórios de segunda mão apresenta grande potencial de crescimento, mas isso não impediu o Enjoei de entrar em novos segmentos. Atualmente, o site do Enjoei não vende apenas roupas, mas sim uma variedade de produtos de segunda mão. Além disso, desenvolver o B2B2C e o EnjuBANK podem ser passos interessantes e transformacionais para a companhia.

Veja o relatório completo da EXAME Research sobre o Enjoei.