Rússia quer prender quem usar bitcoin

As multas iriam de 500 mil a 2,5 milhões de rublos e a pena de prisão seria de 4 a 7 anos, diz reportagem da Bloomberg

São Paulo - A Rússia está querendo apertar o cerco ao bitcoin.

De acordo com a Bloomberg, o Ministério das Finanças do país irá propor em breve uma legislação proibindo a emissão e o uso de moedas digitais na troca de bens e serviços.

As multas iriam de 500 mil a 2,5 milhões de rublos (26 mil a 130 mil reais) e a pena de prisão iria de 4 a 7 anos, com as piores punições reservadas para gerentes de empresas financeiras .

“A Bitcoin pode ser usada para financiar a economia informal e crimes, e este é um risco que não podemos permitir no sistema financeiro da Rússia, que estamos tentando tornar transparente e saudável", disse a assessoria de imprensa do Banco Central por e-mail.

Desde que a União Soviética entrou em colapso, a Rússia luta para reforçar a credibilidade de sua moeda entre a população e não tolera a criação de alternativas.

Em meados do ano passado, um fazendeiro russo que criou uma moeda própria para trocas com outros fazendeiros foi levado aos tribunais por iniciativa de promotores locais e do Banco Central.

Na Venezuela de hoje, marcada pela escassez e pelo descontrole inflacionário, o bitcoin é cada vez mais usado como alternativa. Muitos países tem caminhado no sentido de regular as novas moedas digitais.

Já em outros, como Equador e Vietnã, elas são proibidas. No Brasil, o bitcoin é tratado como um ativo financeiro e precisa ser declarado no Imposto de Renda.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.