PIB cresce 0,4% no 2º trimestre de 2012

PIB em valores correntes alcançou 1,10 trilhão de reais no segundo trimestre

São Paulo – O crescimento da economia brasileira no segundo trimestre desse ano foi de 0,4% em relação ao primeiro trimestre de 2012, considerando ajustes sazonais, de acordo com os dados divulgados hoje pelo IBGE.

Na comparação com o primeiro trimestre do ano, o destaque positivo foi a Agropecuária, que teve crescimento de 4,9% no volume do valor adicionado. Nos Serviços houve aumento de 0,7%, enquanto que a Indústria registrou queda de 2,5% (o setor havia sido destaque no primeiro trimestre).

Pela ótica do gasto, a despesa de consumo do Governo e a das famílias cresceram, respectivamente, 1,1% e 0,6% no segundo trimestre de 2012. Já o outro componente da demanda interna, a formação bruta de capital fixo, teve queda de 0,7%.

No que se refere ao setor externo, as importações de bens e serviços cresceram 1,9%, enquanto que as exportações tiveram queda de 3,9%.

Na comparação com o segundo trimestre de 2011, o PIB cresceu 0,5%. No primeiro semestre, o PIB apresentou aumento de 0,6% em relação ao mesmo período de 2011. No acumulado dos quatro trimestres terminados no segundo trimestre de 2012 (12 meses), a expansão foi de 1,2% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores. 

O PIB em valores correntes alcançou 1,10 trilhão de reais no segundo trimestre. A taxa de investimento no período foi de 17,9% do PIB, inferior a do mesmo período do ano anterior (18,8%). A redução foi influenciada, principalmente, pela queda, em volume, da formação bruta de capital fixo no trimestre, segundo o IBGE. A taxa de poupança ficou em 16,9% no segundo trimestre de 2012 (ante 19,0% no mesmo trimestre de 2011).

Período/Indicadores PIB Agro Indústria Serviços FBCF Cons. Famílias Cons. Governo
2º tri/1º tri 0,4 4,9 -2,5 0,7 -0,7 0,6 1,1
2º tri 2012/2º tri 2011 0,5 1,7 -2,4 1,5 -3,7 2,4 3,1
acum em 4 tri/ 4 tri imediatamente anteriores 1,2 1,5 -0,4 1,6 -0,3 2,5 2,2
Acumulado 2012/ acum 2011 0,6 -3,0 -1,2 1,5 -2,9 2,5 3,2
Valores correntes no trimestre (R$ ) 1.101,6 bilhões 66,2 bilhões 241,3 bilhões 630,7 bilhões 196,9 bilhões 672,1 bilhões 228,5 bilhões

Expectativas

A expectativa - dada pelo Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), um indicador do BC considerado uma prévia do PIB – era de que a economia cresceria 0,38% no segundo trimestre, na comparação com  os três meses anteriores. O HSBC e o Itaú-Unibanco haviam divulgado que esperavam um crescimento de 0,5% da economia no segundo trimestre em relação ao primeiro. 


Com ajuste, o crescimento do PIB do primeiro trimestre em relação ao imediatamente anterior passou de 0,2% para 0,1%.

Para o ano, o governo projetava inicialmente um PIB de 4,5%, mas já diminuiu a projeção para 3% – e depois voltou atrás. Ontem, o ministro disse que 2012 é o "pior ano" da crise global, mas garantiu que a economia nacional "resiste" e conta com bases sólidas para alcançar um crescimento próximo a 4%.

O boletim Focus dessa semana indica que o mercado espera um crescimento de 1,73% do PIB em 2012. O ministro prevê que a economia brasileira acelerará nos dois últimos trimestres graças a diversas decisões do governo

O governo vem lançando vários pacotes para estimular a economia, como o Programa de Concessões de Rodovias e Ferrovias e a renovação da redução de IPI para carros e linha branca, anunciada nessa semana. 

Em 2011, a economia brasileira cresceu 2,7%. O resultado foi pior que o esperado pelo governo e muito inferior ao do crescimento observado em 2010, que havia sido de 7,5%. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também