Ministro cobrará explicações pelo preço do álcool

Brasília, 4 de fevereiro (Portal EXAME) O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, afirmou nesta terça-feira (4/2) que está insatisfeito com os produtores de álcool. Segundo ele, representantes do setor serão chamados para conversar ainda nesta semana, porque desrespeitaram um acordo firmado com o governo, elevando os preços do álcool acima do que havia sido combinado. […]
 (EXAME.com)
(EXAME.com)
M
Marcos CoronatoPublicado em 09/10/2008 às 10:47.

Brasília, 4 de fevereiro (Portal EXAME) O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, afirmou nesta terça-feira (4/2) que está insatisfeito com os produtores de álcool. Segundo ele, representantes do setor serão chamados para conversar ainda nesta semana, porque desrespeitaram um acordo firmado com o governo, elevando os preços do álcool acima do que havia sido combinado. Fico preocupado quando um segmento empenha sua palavra e depois acha que pode voltar atrás sem consultar o governo , disse Rodrigues, em evento na Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).

Pelo acordo fechado entre governo e usineiros, a quantidade de álcool adicionada à gasolina foi diminuída, o que reduziria a demanda e a pressão para elevar os preços. O governo ofereceu apoio para a antecipação da safra para março, em troca da estabilização dos preços. A quantidade de álcool adicionada à gasolina foi reduzida em janeiro, mas o preço do produto subiu 26,7% desde então.

Rodrigues participa, no final da próxima semana, de um encontro de ministros da Agricultura no âmbito da OMC (Organização Mundial do Comércio), em Tóquio. Ele informou que o governo se empenhará em incrementar acordos bilaterais, sem comprar mais brigas que o necessário . Está claro que os mecanismos americanos, europeus e japoneses não têm o propósito de reduzir os subsídios no curto prazo. Não adianta querer brigar. Teremos de negociar com calma , afirmou o ministro. Diremos ok, se vocês querem proteger seus produtores, desde que eles não gerem excedentes e não prejudiquem nossa entrada em outros mercados .

O ministro reafirmou que a política agrícola do governo Lula será baseada num tripé: políticas públicas de apoio ao produtor, como seguro rural e progamas de renda mínima; organização dos elos das cadeias produtivas; e negociações internacionais.

Veja Também