La Niña favorece safra recorde de grãos, diz Conab

Entidade acredita que o clima é o principal responsável pelo sucesso na produção

Brasília – A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima que a produção nacional de grãos (arroz, feijão, soja, milho, entre outros) deve chegar a 162,9 milhões de toneladas no ciclo 2010/2011, um resultado recorde. Com isso, o volume produzido deve ser 9,2%, ou 13,7 milhões de toneladas, superior ao do período 2009/2010.

Conforme o 12º boletim da Conab sobre a safra atual, o clima é o principal fator para o bom desempenho. “As chuvas, apesar de terem atrasado no Centro-Oeste e terem ocorrido abaixo da média em alguns meses na Região Sul, aconteceram na época e na medida certas para o bom desenvolvimento das culturas de verão”.

O comportamento do clima é associado pela Conab ao fenômeno La Niña, que se caracteriza pelo esfriamento anormal nas águas superficiais da parte tropical do Oceano Pacífico e propiciou no território brasileiro um regime de chuvas favorável à lavoura. “O clima foi excelente para todos estados, com problemas pontuais”, avalia o gerente de Levantamento e Avaliação de Safra da Conab, Carlos Bestetti.

De acordo com o gerente, o bom desempenho da lavoura “garante o abastecimento de alimentos no país”. Para ele, a inovação no cultivo, com o uso de biotecnologia (por exemplo, sementes mais resistentes a pragas) e o melhor aproveitamento do sistema de plantio, foi o segundo fator de aumento da safra. “A produção é cada vez mais técnica, inclusive no Nordeste”, destacou.

Bestetti participou do estudo do Ministério da Agricultura que verificou o surgimento de uma nova fronteira agrícola entre os estados do Maranhão, de Tocantins, do Piauí e da Bahia. Batizada de Matopiba (nome formado com as sílabas iniciais de cada um dos quatro estados), a área atrai a agricultura empresarial que compra terras na região a preços mais baixos do que em Mato Grosso, antiga fronteira agrícola.

Na opinião de Bestetti, a alta no preço das commodities poderá estimular no futuro a manutenção do crescimento agrícola, desde que o câmbio se torne mais favorável às exportações. O gerente também espera que o desempenho das lavouras continue a melhorar com o uso maior de técnicas para corrigir problemas de solo e a renovação de plantio da cana-de-açúcar.

A área cultivada no Brasil totaliza 49,9 milhões de hectares (somando-se as áreas de replantio). Cerca de 80% dessas áreas são formadas pelos estados do Sul, do Sudeste e do Centro-Oeste.

O boletim da Conab prevê que as chuvas de setembro, outubro e novembro serão acima da média em parte do Centro-Oeste, do Sudeste e no sul do Nordeste, o que poderá beneficiar a produção na próxima safra.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.