Intenção de consumo das famílias cresce 2,9%

Na comparação com junho de 2021, expansão é de 18,8%
É a sexta alta consecutiva do indicador, que atingiu o maior patamar  desde maio de 2020 (Reprodução/Getty Images)
É a sexta alta consecutiva do indicador, que atingiu o maior patamar  desde maio de 2020 (Reprodução/Getty Images)
A
Agência Brasil

Publicado em 01/07/2022 às 13:11.

Última atualização em 01/07/2022 às 18:27.

A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) cresceu 2,9% de maio para junho deste ano e atingiu 80,2 pontos em uma escala de zero a 200. É a sexta alta consecutiva do indicador, que atingiu o maior patamar desde maio de 2020 (81,7 pontos). Os dados, divulgados hoje (1º), são da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Os sete componentes do indicador tiveram alta de maio para junho, com destaque para as avaliações sobre perspectiva profissional (5,4%), renda atual (3,5%) e emprego atual (3%).

Comparação

Na comparação com junho de 2021, a ICF cresceu 18,8%, puxada pelos mesmos componentes: perspectiva profissional (30,9%), emprego atual (24,2%) e renda atual (23,4%).

Segundo a CNC, o indicador cresceu em todos os meses do ano, apesar da inflação e dos juros mais altos. “Isso pode ser atribuído às medidas de suporte à renda e à evolução positiva do mercado de trabalho. No primeiro semestre, o avanço na intenção de consumo foi de 10,1%”, informou nota da CNC.

Veja também:

Preços da indústria sobem 1,83% em maio, diz IBGE

Para economistas, cresce chance de alta da Selic às vésperas da eleição