Economia

Haddad: eleição na Argentina será determinante para futuro do Mercosul

Sérgio Massa, candidato que faz parte do atual governo, é favorável ao bloco comercial. Já o deputado Javier Milei sinalizou que deixaria o bloco caso eleito

Fernando Haddad: ministro da Fazenda sinaliza que próximo presidente argentino terá peso na integração da América do Sul (Leandro Fonseca/Exame)

Fernando Haddad: ministro da Fazenda sinaliza que próximo presidente argentino terá peso na integração da América do Sul (Leandro Fonseca/Exame)

Antonio Temóteo
Antonio Temóteo

Repórter especial de Macroeconomia

Publicado em 23 de outubro de 2023 às 10h03.

Última atualização em 23 de outubro de 2023 às 10h48.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou nesta segunda-feira, 23, que acompanha com interesse as eleições na Argentina. Haddad sinalizou o próximo presidente argentino será determinante para o futuro do Mercosul e para a integração entre os países da América do Sul.

Candidatado mais votado do primeiro turno, o ministro da Economia, Sérgio Massa, é favorável ao bloco comercial. Já o deputado ultraliberal Javier Milei, que disputará o segundo turno contra Massa, já sinalizou que deixará o Mercosul, se eleito.  

“Não dá para comentar resultado de eleição [na Argentina], até porque tem um segundo turno agora. Mas estamos acompanhando com interesse por causa do Mercosul, que é muito importante. A Câmara acaba de aprovar a entrada da Bolívia no Mercosul e aguarda apreciação do Senado. Para nós é importante consolidar uma integração na região. A integração regional é importante para o Brasil”, disse Haddad.

América do Sul mais integrada

O ministro da Fazenda também afirmou que a integração dos países da América do Sul é importante para dar mais força ao processo de negociação entre o Mercosul e a União Europeia.

“Sou integracionista. Gosto de pensar em uma América do Sul mais integrada, negociando com a União Europeia de forma mais forte. Estamos negociar um acordo com a União Europeia e quanto mais integrados nós estivermos melhor para sentar-se à mesa com a União Europeia e fazer um bom acordo para a região. Então tem implicações muito grande essa questão da integração. Não é uma coisa isolada”, disse.

 


Eleição na Argentina

Acompanhe tudo sobre:ArgentinaMercosulFernando Haddad

Mais de Economia

Banco Mundial projeta queda de 3% para preços globais das matérias-primas em 2024

Reforma tributária: leia íntegra da proposta de regulamentação do governo

Reforma tributária: nova alíquota será entre 25,7% e 27,3%, diz Appy

Mais na Exame