Economia

Haddad: governo anuncia na próxima semana medidas sobre impacto e compensação da desoneração

Impacto da medida às contas em 2024 foi estimado em R$ 7,2 bilhões, segundo o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco

Fernando Haddad, ministro da Fazenda (Hollie Adams/Getty Images)

Fernando Haddad, ministro da Fazenda (Hollie Adams/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 17 de maio de 2024 às 16h36.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou nesta sexta-feira, 17, que a equipe econômica anunciará na semana que vem as estimativas de impacto e as medidas compensatórias referentes à manutenção da desoneração da folha dos 17 setores e dos municípios neste ano.

"Vai ser anunciado semana que vem (compensação) quando a medida for devidamente processada na Casa Civil. Estamos fazendo análise de impacto neste momento", disse Haddad ao ser questionado por jornalistas.

Na quinta-feira, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), anunciou que foi acertado com Haddad a manutenção da desoneração da folha de salários dos municípios este ano e, a partir de 2025, haverá uma reintegração gradual da alíquota do imposto. O impacto da medida às contas em 2024 foi estimado em R$ 7,2 bilhões, segundo Pacheco.

Na semana passada, Haddad também anunciou que vai manter integralmente a política de desoneração dos 17 setores este ano, mas estabelecendo uma espécie de "phase out", ou seja, reoneração gradual a partir de 2025, com aumento da alíquota a cada ano. O impacto inicialmente estimado para 2024 foi em torno de R$ 10 bilhões.

Questionado sobre o cumprimento da meta primária de déficit zero em meio a manutenção desses benefícios, Haddad reiterou que perseguirá o alvo fiscal.

O ministro ponderou que o País vive um regime democrático e reforçou que a Fazenda está em meio à negociação com o Congresso sobre a desoneração da folha.

Acompanhe tudo sobre:Fernando HaddadDesoneração da folha de pagamentos

Mais de Economia

Copom: em decisão unânime, BC mantém Selic em 10,5% e põe fim ao ciclo de cortes

Margem Equatorial: Magda Chambriard defende exploração com 'rigorosos padrões de segurança'

Governo e estados acertam criação de fundo em projeto sobre dívida dos estados

Lula quer que Petrobras tenha gestão 'com respeito à sociedade brasileira', diz Magda Chambriard

Mais na Exame