Greve de caminhoneiros e dólar elevam custo industrial em 3,7% no 2º tri

Dados foram divulgados hoje (19) pela Confederação Nacional da Indústria

Brasília - A greve dos caminhoneiros em maio e a alta do dólar - e seus reflexos nos preços dos combustíveis - elevaram os custos industriais no segundo trimestre deste ano, de acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O levantamento da entidade mostra que os custos do setor subiram 3,7% de abril a junho, na comparação com o período entre janeiro a março, já descontados os efeitos de calendário.

Embora o índice de custo tributário tenha caído 1,7% nessa comparação e os custos com capital de giro tenham se reduzido 3,8% no período, o indicador que mede os custos com a produção aumentou 5,1% no segundo trimestre do ano. Essa alta foi puxada pelo aumento de 8,5% no custo de energia das fábricas e pela elevação de 6,4% no custo dos bens intermediários usados na produção.

"A desvalorização do real no segundo trimestre de 2018 contribuiu para um aumento de 15,1% no custo com bens intermediários importados. A desvalorização cambial, associada ao aumento no preço internacional de petróleo, elevou o preço do óleo combustível, impactando o custo com energia. Adicionalmente, a escassez resultante da greve dos caminhoneiros gerou crescimento de 4,9% no custo com intermediários domésticos no segundo trimestre", explicou a CNI no documento.

Por outro lado, os preços dos produtos industrializados cresceram 3,8% brasileiros no segundo trimestre do ano, acima da alta de 3,7% nos custos do setor. Mesmo com o acréscimo no preço, os bens produzidos no Brasil se mantiveram competitivos em relação à mercadorias importadas, devido à desvalorização do real frente ao dólar.

"Isso mostra a capacidade de a indústria repassar o aumento de custos do trimestre aos consumidores, preservando a lucratividade no trimestre", acrescentou a CNI.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.