Fechamento parcial do governo custou US$ 11 bilhões ao PIB dos EUA

A mais longa paralisação dos EUA afetou cerca de 800 mil funcionários e não conseguiu aprovar a construção do muro na fronteira com o México

O fechamento parcial da administração americana, que se estendeu por mais de um mês, custou ao PIB 11 bilhões de dólares, segundo relatório divulgado nesta segunda-feira pelo Escritório de Orçamento do Congresso (CBO).

O informe indica, no entanto, que grande parte dessa quantia será compensada com a reativação das operações do governo e que as perdas só serão de 3 bilhões de dólares, equivalentes 0,02% do PIB, no balanço final.

O departamento alertou, no entanto, que há efeitos subjacentes para empresas e trabalhadores que são muito mais significativos.

“Entre as pessoas que experimentam os efeitos mais amplos e diretos estão os trabalhadores federais que enfrentam compensações com atrasos e entidades do setor privado que perderam negócios”, diz o relatório, segundo o qual algumas dessas empresas nunca recuperarão essas rendas.

A paralisação orçamentária, que foi a mais longa da história dos Estados Unidos, afetou cerca de 800.000 trabalhadores, que tiveram que trabalhar sem salário, ou que foram obrigados a ficar de licença sem remuneração.

Depois de uma dura disputa coma oposição democrata, o presidente Donald Trump concordou na sexta-feira em encerrar o ‘shutdown’ parcial do governo, mantido desde 22 de dezembro por sua recusa em assinar o orçamento se não fossem incluídos fundos para construir um muro na cidade que faz fronteira com o México.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.