Economia

China impulsiona investimento privado para manter crescimento

Forte desaceleração no investimento privado no ano passado forçou a China a depender mais dos gastos do governo e das empresas estatais mais ineficientes

China está buscando reduzir os riscos de anos de estímulo impulsionado pelo crédito (Getty Images/Getty Images)

China está buscando reduzir os riscos de anos de estímulo impulsionado pelo crédito (Getty Images/Getty Images)

R

Reuters

Publicado em 6 de março de 2017 às 09h09.

Pequim - A China vai tomar medidas adicionais para sustentar o investimento privado, disse nesta segunda-feira o vice-presidente da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma, Zhang Yong, uma vez que o país busca manter um crescimento econômico forte ao mesmo tempo em que passa por reformas estruturais.

Uma forte desaceleração no investimento privado no ano passado forçou Pequim a depender mais dos gastos do governo e das empresas estatais mais ineficientes para atingir sua meta de crescimento, deixando a economia desequilibrada.

Mas Zhang disse em entrevista coletiva que o investimento privado está se estabilizando e que as medidas tomadas para impulsionar tais gastos estão mostrando resultados.

Zhang afirmou que a China vai reduzir as barreiras à entrada de investimento privado, simplificar a regulamentação e ainda sustentar o investimento através de programas de parceria público-privado.

A China está buscando reduzir os riscos de anos de estímulo impulsionado pelo crédito, que está concentrado no setor público fortemente endividado, ao mesmo tempo em que mantém uma alta taxa de crescimento.

O governo reduziu sua meta de crescimento para 2017 a 6,5 por cento, ante faixa de 6,5 a 7 por cento no ano passado, disse o primeiro-ministro, Li Keqiang, em seu relatório na abertura da reunião anual do Parlamento no domingo. A economia em 2016 cresceu 6,7 por cento.

Acompanhe tudo sobre:ChinaInvestimentos de empresasInvestimentos de governo

Mais de Economia

Qual é a diferença entre bloqueio e contingenciamento de recursos do Orçamento? Entenda

Haddad anuncia corte de R$ 15 bilhões no Orçamento de 2024 para cumprir arcabouço e meta fiscal

Fazenda mantém projeção do PIB de 2024 em 2,5%; expectativa para inflação sobe para 3,9%

Mais na Exame