Balança tem superávit de US$ 558 mi na 3ª semana do mês

No mês de julho, as exportações somam US$ 14,405 bilhões e as importações chegam a US$ 14,268 bilhões, com saldo positivo de US$ 137 milhões

Brasília - A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 558 milhões na terceira semana de julho, entre os dias 15 e 21. As exportações somaram US$ 5,371 bilhões e as importações ficaram em US$ 4,813 bilhões no período, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Na segunda semana do mês, a balança tinha registrado déficit de US$ 619 milhões

No mês de julho, as exportações somam US$ 14,405 bilhões e as importações chegam a US$ 14,268 bilhões, com saldo positivo de US$ 137 milhões. No ano, as exportações alcançam US$ 128,828 bilhões e as importações somam US$ 131,783 bilhões, com saldo negativo de US$ 2,955 bilhões.

Na semana passada houve aumento nas exportações de semimanufaturados e básicos. Por outro lado, caíram as exportações de manufaturados. As importações, de forma geral, apresentaram alta. Essas comparações levam em consideração o critério de médias diárias da semana passada em relação às médias diárias das duas primeiras semanas do mês.

A média geral das exportações da terceira semana ficou em US$ 1,074 bilhão, 18,9% acima da média de US$ 903,4 milhões até a segunda semana. O MDIC explica que essa alta ocorreu em razão do crescimento nas exportações de produtos semimanufaturados (alta 71,8%, de US$ 85,2 milhões de média diária até a segunda semana do mês para US$ 146,4 milhões, na terceira semana). O movimento foi impulsionado pelo aumento nas vendas de açúcar em bruto, celulose, ouro em forma semimanufaturada, semimanufaturados de ferro/aço e ferro-ligas.

Houve alta também nos resultados dos básicos (crescimento de 30,8% nas médias diárias, de US$ 426,8 milhões para US$ 558,1 milhões) principalmente por causa de minério de ferro, petróleo em bruto, farelo de soja, carne bovina e milho em grãos).

As remessas de manufaturados caíram 6,6% (de US$ 370,0 milhões de média diária até a segunda semana para US$ 345,7 milhões, na terceira semana). Esse resultado, adverte o MDIC, ocorreu em razão de plataforma para extração de petróleo, aviões, açúcar refinado, etanol e calçados.

Nas importações foi registrado crescimento de 1,8% (média diária de US$ 945,5 milhões até a segunda semana para US$ 962,6 milhões de média diária da terceira semana). Aumentaram os gastos com equipamentos mecânicos, aparelhos eletroeletrônicos, plásticos e obras, siderúrgicos e adubos e fertilizantes, informa o MDIC.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.