Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

O que aconteceu desde que o novo coronavírus foi descoberto na China

O primeiro alerta foi recebido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 31 de dezembro de 2019; veja o que aconteceu desde então

Desde o seu surgimento, na cidade chinesa de Wuhan, até a intensificação de medidas internacionais de prevenção, confira as principais etapas da epidemia provocada pelo novo coronavírus chinês.

Primeiro alerta

O primeiro alerta foi recebido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 31 de dezembro de 2019. As autoridades chinesas alertaram para o surgimento de uma série de casos de pneumonia de origem desconhecida na cidade de Wuhan, de 11 milhões de habitantes.

Novo coronavírus

Anunciadas em 9 de janeiro pela OMS e pelas autoridades chinesas, as primeiras análises sequenciais do vírus realizadas por equipes chinesas apontam que esses casos de pneumonia se devem a um novo coronavírus.

Primeira morte e primeiro caso fora da China

Autoridades chinesas de saúde anunciam a primeira morte de um paciente com o vírus em 11 de janeiro.

Em 13 de janeiro, a OMS notificou o primeiro caso de uma pessoa infectada fora da China, na Tailândia: uma mulher com pneumonia leve que voltava de uma viagem a Wuhan.

Controles nos Estados Unidos e na Ásia

Em 17 de janeiro, nos Estados Unidos, o CDC anunciou o estabelecimento de exames de detecção em três aeroportos americanos importantes, inclusive um em Nova York, que recebe voos diretos de Wuhan.

Quatro dias depois, Tailândia, Hong Kong, Singapura, Austrália e Rússia intensificaram os controles sobre a chegada de voos vindos de zonas de risco.

Transmissão humana "provada"

Em 20 de janeiro, o cientista chinês Zhong Nanshan confirmou que a doença é transmitida entre humanos.

Mais da metade das províncias chinesas são afetadas, incluindo Pequim, Xangai e Shenzhen.

No dia 21 é detectado o primeiro caso nos Estados Unidos.

Possível mutação do coronavírus

Em 22 de janeiro, o vice-ministro da Comissão Nacional de Saúde, Li Bin, anunciou que o vírus, que é transmitido pelas vias respiratórias, "poderia sofrer mutação e se propagar mais facilmente".

Wuhan isolada do mundo

No dia 23, trens e aviões partindo de Wuhan foram suspensos, e as rodovias, bloqueadas.

Pequim anuncia o fechamento da Cidade Proibida após o cancelamento das festividades de Ano Novo na capital. Hong Kong relata seu primeiro caso suspeito.

Viagens suspensas

No dia 25, o governo chinês ordena medidas nacionais de detecção de coronavírus em trens, ônibus e aviões.

Além de Wuhan, quase toda a província de Hubei e seus 56 milhões de habitantes são isolados do mundo.

Hong Kong decreta o nível máximo de alerta de saúde.

No dia 26, Pequim suspende viagens na China e para o exterior.

Grandes cidades como Pequim ou Xangai suspendem as linhas de ônibus de longa distância.

Férias prolongadas

No dia 27, a China estende as férias de Ano Novo até 2 de fevereiro, que gera centenas de milhões de viagens no país a cada ano.

O vírus deixa um primeiro falecido em Pequim.

A Mongólia fecha suas fronteiras terrestres com a China e vários países.

Contágio entre humanos fora da China

No dia 28, os dois primeiros casos de contaminação humana fora do território chinês, um na Alemanha e outro no Japão, são relatados em pessoas que não viajaram para a China.

Paralelamente, Pequim pede aos chineses que adiem suas viagens não essenciais ao exterior para limitar o contágio.

No dia 29, os Emirados Árabes Unidos anunciam quatro pessoas contaminadas, os primeiros casos no Oriente Médio.

Evacuações

Em 29 de janeiro, centenas de cidadãos americanos e japoneses são retirados de Wuhan em voos fretados.

British Airways e Lufthansa suspendem seus voos à China, assim como companhias de Indonésia, Mianmar, Nepal e Rússia.

A fabricante automobilística japonesa Toyota estende seu recesso de Ano Novo das fábricas da China até 9 de fevereiro.

Emergência internacional

No dia 30, Paris anuncia um sexto caso na França, o primeiro de contágio em solo francês.

A Rússia anuncia o fechamento dos 4.250 km de fronteira com a China.

A OMS qualifica a epidemia de "emergência de saúde pública de alcance internacional", mas considera que não é necessário limitar as viagens e o comércio com a China.

No dia 31, a China anuncia o pior balanço diário desde o início da epidemia: 43 mortes em 24 horas.

Mais de 12.000 afetados

França, Alemanha e Reino Unido iniciam repatriações. A Rússia registra os dois primeiros casos.

O governo dos Estados Unidos declara emergência de saúde no dia 1 de fevereiro, recomenda que seus cidadãos não viajem para a China e proíbe a entrada de estrangeiros que passaram por por este país.

A Espanha anuncia um caso de infecção, um turista alemão. A Itália, com dois casos, proclama estado de emergência.

Até 1 de fevereiro, o novo coronavírus deixou 259 mortos e mais de 12.000 afetados.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também