A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Iceberg gigante está prestes a se desprender da Antártica

Segundo estudo realizado por cientistas do País de Gales, a plataforma de gelo na Antártica tem quase o tamanho do Distrito Federal

São Paulo - Um iceberg gigante, quase do tamanho do Distrito Federal, poderá se formar em breve, a partir do desprendimento de uma plataforma de gelo na Antártica, de acordo com um novo estudo realizado por cientistas do País de Gales, no Reino Unido.

De acordo com o estudo, uma rachadura na plataforma de gelo Larsen C cresceu 17 quilômetros nos últimos dias, formando uma fenda de mais de 130 quilômetros de extensão, com cerca de 100 metros de largura e 500 metros de profundidade.

Se a fenda aumentar mais 13 quilômetros - o que deverá acontecer em breve, segundo os cientistas -, a plataforma se descolará totalmente do continente, formando um dos maiores icebergs já registrados no mundo, com 5 mil quilômetros quadrados de área.

A descoberta, divulgada nesta sexta-feira, 2, foi feita a partir da análise dos últimos dados de satélites sobre a plataforma Larsen C, que tem sido continuamente monitorada por pesquisadores do Projeto Midas, da Universidade de Swansea (País de Gales).

"No maior salto desde janeiro, a fenda na plataforma de gelo Larsen C cresceu mais 17 quilômetros entre 25 de maio e 31 de maio deste ano. Isso moveu a ponta da fenda para apenas 13 quilômetros até o limite da plataforma, que provocará seu desprendimento, formando um dos maiores icebergs já registrados", disse o diretor do Projeto Midas, Adrian Luckman.

Além de avançar rapidamente, a fenda também fez uma curva em direção ao limite da plataforma, indicando que a ruptura está provavelmente muito próxima.

"A fenda agora entrou completamente na zona de gelo macio que se origina na Península Cole e parece haver muito pouco a fazer para evitar que o iceberg se separe completamente", disse Luckman.

De acordo com os pesquisadores, a perda de uma área tão grande de gelo deixará toda a plataforma mais vulneráveis a futuras rupturas.

A Larsen C tem aproximadamente 350 metros de espessura e flutua no mar nos limites da Antártica Ocidental, contendo o fluxo das geleiras que a alimentam.

"Quando se desprender, a plataforma de gelo Larsen C perderá mais de 10% de sua área, deixando seus limites na posição mais retraída já registrada. Esse evento mudará completamente a paisagem na Península Antártica", afirmou Luckman.

De acordo com o cientista, o grupo já mostrou que a nova configuração será menos estável que a existente antes da abertura da fenda.

Com isso, a Larsen C poderá ter o mesmo destino de outra plataforma de gelo vizinha, a Larsen B, que se desintegrou em 2002 após um evento semelhante induzido por uma fenda.

Os cientistas afirmam que não há evidências suficientes para ligar o crescimento da fenda - e o eventual desprendimento do iceberg - às mudanças climáticas globais.

No entanto, é amplamente aceito pela ciência que o aquecimento dos oceanos e da atmosfera tem sido um fator importante na desintegração de outras plataformas de gelo na Península Antártica.

A plataforma Larsen A se desfez em 1995 e a Larsen B, em 2002.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também