Veja quais são os melhores restaurantes 'instagramáveis' do Brasil

Com base na lista de 100 Melhores Restaurantes do Brasil, da Casual EXAME, destacamos quais também atraem para redes sociais
 (Président/Divulgação)
(Président/Divulgação)
G
Gabriel AguiarPublicado em 29/05/2022 às 10:00.

Não basta comer bem: há quem também precise publicar nas redes sociais completar a experiência gastronômica. E há lugares perfeitos para o Instagram – seja pela decoração, pelos pratos ou então pela paisagem. Por isso, Casual EXAME listou quais são os restaurantes mais “instagramáveis” entre os 100 Melhores Restaurantes do Brasil. Confira!

VEJA TAMBÉM

Aizomê

Telma Shiraishi é tão importante para o cenário gastronômico que foi reconhecida embaixadora da culinária japonesa pelo governo do Japão – que, pela primeira vez, concedeu o título a uma mulher brasileira. E o caminho até criar o próprio restaurante foi longo: a mestre estudou medicina, ciência molecular e moda. De um lado, o Aizomê passou a quebrar tabus (e lançou até o menu vegetariano, de 230 a 275 reais); de outro, manteve vivas tradições, como o raro hon wasabi servido no omakase (de até 405 reais com atum bluefin e wagyu). Também há peças à la carte e democráticos bentos.

Alameda Fernão Cardim, 39, Jardim Paulista, São Paulo
Avenida Paulista, 52, Bela Vista, São Paulo
https://www.aizome.com.br/


Borgo Mooca

Se firmar como referência gastronômica em São Paulo já é complicado. Só que essa tarefa fica ainda mais desafiadora no tradicional bairro da Mooca – e foi exatamente isso que o chef Matheus Zachini conseguiu. Não existe monotonia no cardápio, que se renova semanalmente com receitas autorais e diferentes influências culturais. Assim que nasceram pratos como o lombo de atum cru sobre ostras gratinadas com espinafre e gorgonzola (78 reais) ou ovo com gema mole empanado em as migas de focaccia acompanhado por maionese picante de lulas (36 reais), sempre impecavelmente frescos.

Rua Comendador Roberto Ugolini, 129, Parque da Mooca, São Paulo
https://www.facebook.com/borgomooca/


Capincho

É provável que o salão com decoração industrial, paredes de tijolos e iluminação intimista atraia boa parte dos olhares. Mas é o cardápio de inspiração sulista que assume o protagonismo no Capincho – não somente do Rio Grande do Sul, como também de Argentina e Uruguai. Prova disso é o jarret de porco, que vindo de fazenda próxima e servido com molho de carne, coração de alface e maçã verde (96 reais) ou a tradicional costela assada por 16 horas (125 reais). Também vale dar atenção à carta de vinhos, que muda semanalmente, e aos drinks autorais, como negroni de bergamota (34 reais).

Praça Doutor Maurício Cardoso, 61, Moinhos de Vento, Porto Alegre
https://www.instagram.com/capinchorestaurante/


Cuia

Não bastasse a localização privilegiada em pleno Copan, famoso cartão-postal paulistano projetado por Oscar Niemeyer, o Cuia é daqueles estabelecimentos que parecem receber todos com os braços abertos – inclusive uma livraria, com a qual divide parte do espaço. Só que parte desse acolhimento é mérito do cardápio criado por Bel Coelho, que traz desde o tostex de pão de fermentação natural, queijo da Canastra e geleia de jabuticaba (34 reais) até o arroz de sururu com maxixe e maionese de licuri (72 reais). Na coquetelaria, destaque para o Soneto ao Caju, com gin e cajuína (42 reais),

Avenida Ipiranga, 200, loja 48, República, São Paulo
https://belcoelho.com.br/cardapio/


Glouton

Quem disse que alta gastronomia não pode ser reconfortante? Pelo menos é essa a premissa de Leo Paixão, que procurou referências da culinária tradicional mineira para o cardápio – que traz desde as reinvenções do torresmo até churrasco de costela de boi com falso carvão na única opção disponível de menu degustação (350 reais). Só que a atenção do chef está além da cozinha e incluem pitacos na decoração, com assinatura de Cristiano Sa Motta, com referências ao modernismo de Le Corbusier. E se o ambiente já fosse suficientemente “instagramável”, a apresentação dos pratos não fica atrás.

Rua Bárbara Heliodora, 59, Lourdes, Belo Horizonte
https://www.glouton.com.br/


Grado

É indiscutível que as receitas italianas costumam ser reconfortantes. Mas essa experiência fica ainda mais real no casarão do charmoso bairro do Jardim Botânico, no Rio de Janeiro (RJ), detalhadamente decorado com livros, estantes de madeira e paredes cheias de quadros. Da cozinha, comandada por Nello Garaventa – de família ítalo-brasileira – saem maravilhas como o agnolotti de javali e peixe do dia acompanhado de tomate cereja, vinho branco, pinoli e batata rosti. E, atualmente, o restaurante trabalha somente com formato de menu degustação com três tempos e sobremesa (184 reais).

Rua Visconde de Carandaí, 31, Jardim Botânico, Rio de Janeiro
https://www.facebook.com/gradorestaurante/


Notiê

Foi na cobertura do tradicional Shopping Light, em pleno coração da cidade de São Paulo, que surgiu o projeto Priceless – e, por consequência, o restaurante Notiê. Comandada por Onildo Rocha, que já é reconhecido como um dos ícones da gastronomia em João Pessoa (PB), a cozinha apresenta pratos de forte influência da cultura brasileira. E assim surgem combinações como inhame com pé de porco ou cabrito com rapadura e cuscuz sertanejo. Existem três opções do menu degustação: cinco tempos (220 reais); dez tempos (390 reais); e 14 tempos (475 reais), quase sempre com criações exclusivas.

Rua Formosa, 157, Centro Histórico, São Paulo
https://www.instagram.com/espacopriceless/


Président

Não espere discrição no Présidente, restaurante do famoso Erick Jacquin – por mais que o jurado do MasterChef Brasil não seja presença frequente por lá: as paredes e o teto são pintados de vermelho chamativo. E o resultado é o cenário perfeito para fotos “instagramáveis”. Da cozinha saem clássicos da culinária francesa, como terrine de foie gras de pato (190 reais); cassoulet de coelho (200 reais); e steak tartar de filé mignon (160 reais). Também há menu degustação surpresa com sete etapas (660 reais) e menu executivo com entrada, prato principal e sobremesa durante a semana (120 reais).

Rua da Consolação, 3527, Cerqueira César, São Paulo
https://www.facebook.com/president.jacquin/


Tragaluz

É difícil imaginar o Tragaluz fora da cidade histórica de Tiradentes (MG). E não somente pelo casarão de 300 anos no qual funciona o restaurante há mais de duas décadas, mas também pela conexão do cardápio com a cultura da região – ainda que Matheus Paratella tenha introduzido alguns toques da gastronomia italiana nas receitas. Para combinar com a decoração a luz de velas e detalhes rústicos, nada melhor que pedir as versões do arancini (54 reais) e da canja (52 reais) com galinhas d’Angola ou provar a bochecha de porco marinada durante 48 horas e assada lentamente (112 reais).

Rua Direita, 52, Centro, Tiradentes
http://tragaluztiradentes.com.br/


Valle Rústico

Parece que o chef Rodrigo Bellora elevou o conceito slow food a outro patamar. Praticamente todos os ingredientes servidos pelo Valle Rústico vêm da própria horta do restaurante ou de produtores da região – todos orgânicos. E também incentiva uma experiência completa: a clientes são convidados a sentar em volta da fogueira para beber vinhos gaúchos e conversar. No menu degustação (195 reais) de oito etapas, podem servir de vegetais assados a cogumelos porcini, dependendo da inspiração da cozinha. Mas não há dúvida em relação à apresentação dos pratos, com até espinhos de araucária.

Via Marcilio Dias, S/N, Garibaldi
https://www.vallerustico.com.br/


Conheça a newsletter da EXAME Casual, uma seleção de conteúdos para você aproveitar seu tempo livre com qualidade.