Casual

Quanto custa comer nos dois restaurantes brasileiros entre os 50 Melhores do Mundo

A lista dos 50 Melhores Restaurantes do Mundo 2024 é feita a partir dos votos de 1.080 especialistas internacionais da indústria de restaurantes

Experiência no Oteque: apenas para 30 pessoas por vez. (Rubens Kato/Divulgação)

Experiência no Oteque: apenas para 30 pessoas por vez. (Rubens Kato/Divulgação)

Gilson Garrett Jr.
Gilson Garrett Jr.

Repórter de Casual

Publicado em 10 de junho de 2024 às 11h48.

Os brasileiros Casa do Porco, em São Paulo, e Oteque, no Rio de Janeiro, estão na aclamada lista The World’s 50 Best Restaurants 2024, divulgada no dia 5 de junho. Mais do que eleger os melhores do mundo, o objetivo do ranking é servir como um guia para as pessoas conhecerem o que há de melhor na gastronomia.

A lista é criada a partir dos votos de 1.080 especialistas internacionais da indústria de restaurantes e gourmands bem viajados que compõem a Academia dos 50 Melhores Restaurantes do Mundo. A Academia, com equilíbrio de gênero, é composta por 27 regiões distintas ao redor do mundo, cada uma com 40 membros.

Quanto custa comer na Casa do Porco

A Casa do Porco ocupa a 27ª posição entre os 50 melhores do mundo, e caiu 15 posições em relação ao ranking do ano passado. Inaugurada em 2015, a casa é dedicada aos cortes suínos e comandada pelo chef Janaína Torres. Com constantes filas na porta, o menu degustação atual se chama Somos de Carne e Osso (290 reais, sem harmonização), para lembrar que, para além dos prêmios, o restaurante é feito de pessoas.

O menu é dividido em sete etapas com 12 pratos, começando pelos embutidos do Porco Real, frigorífico artesanal familiar dos Rueda, e seguido por três sanduíches, o polêmico tartare de porco, churrasco, ossobuco, o famoso porco San Zé, sobremesa e café. Ainda que a casa seja dedicada à carne de porco, há uma versão vegetariana do menu.

Quanto custa comer no Oteque

Já o Oteque voltou a figurar entre os 50 melhores, agora na 37ª posição. A casa é comandada pelo paranaense Alberto Landgraf. O cozinheiro — ele prefere esse termo a “chef” — transformou a entrada discreta do restaurante em um portal para quem gosta da boa comida. O menu degustação, em oito tempos, traz sempre o que há de mais fresco seguindo a filosofia de tríade de Landgraf: fornecedores, equipe e clientes. “Se a arte precisa de um grande conhecimento para ser entendida, está errada. Com a gastronomia é a mesma coisa”, diz.

A experiência no restaurante custa 945 reais e há a opção de acrescentar a harmonização com os pratos por mais 795 reais. No paladar, o comensal vai encontrar uma cozinha moderna naturalista brasileira. Isso significa que haverá ingredientes e pratos locais, desde que respeitada a regra de estarem a uma distância geográfica mais próxima ao restaurante. Como são 30 lugares, a orientação é reservar com antecedência de duas semanas, em especial aos fins de semana.

Neste ano, o Lasai apareceu em primeiro lugar no ranking de Casual EXAME 100 Melhores Restaurantes do Brasil. A Casa do Porco ocupa a segunda posição. O Oteque é o quarto na lista.

Os 50 melhores Restaurantes do Mundo

Os 10 Melhores Restaurantes do Brasil, segundo ranking Casual EXAME

Acompanhe tudo sobre:RestaurantesGastronomia

Mais de Casual

Triplex de luxo em Balneário Camboriú tem vista cinematográfica e custa R$ 18 milhões; veja fotos

A estratégia (quase) secreta da Grand Cru para fazer o brasileiro beber mais vinho da Borgonha

Conheça o azeite brasileiro eleito o Melhor do Hemisfério Sul em concurso na Itália

Os Sete Lendários: a mais nova (e disputada) safra da Miolo

Mais na Exame