Casual

Por que o café não é mais tão querido entre os famosos?

Celebridades estão encontrando outras formas de lidar com a ansiedade

Bebida atravessa gerações, mas também encontra resistência (Divulgação/Divulgação)

Bebida atravessa gerações, mas também encontra resistência (Divulgação/Divulgação)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 21 de maio de 2024 às 09h05.

Para o brasileiro, tomar café diariamente é um hábito quase que sagrado. Na verdade, os norte-americanos também são fãs da bebida. Pensando bem, quem não gosta de um cafezinho?

Seja o tradicional coado ou um refinado espresso, a bebida atravessa gerações. Mesmo assim, é claro que não é unanimidade. Na verdade, tem celebridade que disse nunca ter experimentado uma xícara que seja. E por que disso?

De acordo com reportagem do The Wall Street Journal, Gisele Bündchen começa suas manhãs com água em temperatura ambiente com um pouco de limão e sal. O astro da NBA Giannis Antetokounmpo opta por um shake de frutas.

A atriz Sydney Sweeney disse que nunca experimentou café. Mark Cuban, investidor, um dos donos do Dallas Mavericks e personalidade da televisão, diz que gosta apenas do descafeinado.

O ritual do café

"Uma das coisas mais desagradáveis a meu respeito é o fato de eu não tomar café", disse a atriz e produtora Mindy Kaling ao WSJ.

"Adoro o ritual do café e adoro a bela arte do cappuccino, por isso me sinto realmente excluída de grande parte da cultura. Acho que as pessoas desconfiam disso, e eu também desconfiaria."

Camiel Irving, vice-presidente da Uber, acha que quando diz às pessoas que não toma café, a maioria das reações é uma mistura de surpresa e inveja. Algumas, segundo ela, perguntam: "Como você consegue sobreviver?"

Irving disse que, à medida que envelhecia, o café começou a atrapalhar seu sono. Agora ela dorme melhor, se exercita com mais frequência e tem uma alimentação mais saudável. Ela bebe apenas água pela manhã.

Steven Spielberg disse que nunca tomou café em sua vida. Mas como dá para saber se isso é verdade? Um representante do cineasta disse: "Steven não pode responder a essa pergunta no momento devido à falta de cafeína em seu sistema", brincou.

No ano passado, em seu site de mídia social Threads, o fundador e CEO da Meta, Mark Zuckerberg, compartilhou que sua ingestão diária de cafeína é "nenhuma" e que sua rotina consiste em treinamento de artes marciais mistas, ingestão de "uma tonelada de proteínas" e sono de sete a oito horas por noite.

A cafeína tem sido associada a benefícios físicos, incluindo o aumento do vigor nos treinos e a possibilidade de ajudar a prevenir doenças como Alzheimer e diabetes. As pessoas que não bebem café, porém, não parecem ter problemas com em ficar sem esses benefícios.

"Acho que o sono é o novo café", disse Bryan Johnson, fundador da plataforma de pagamentos Braintree Venmo, ao WSJ. Ele também fundou o programa de nutrição Blueprint, que vem trabalhando em maneiras de retardar e reverter o envelhecimento. "Novas normas sociais estão surgindo", falou. Em vez de recorrer à cafeína ao lidar com o jet lag recentemente, ele fez crioterapia por três minutos.

Em meio a um boom de bem-estar, as pessoas estão encontrando outras maneiras de lidar com a ansiedade em vez de simplesmente tomar uma xícara de café.

Acompanhe tudo sobre:Café

Mais de Casual

Restaurante proíbe entrada de clientes com menos de 30 anos nos EUA

Sopas, caldos e lámens: restaurantes em São Paulo com pratos quentes para o inverno

Prédio de 100 metros em SC tem gramado no topo; apartamentos custam R$ 2,5 milhões

Não é só elétrico: Audi aposta em carros híbridos e a combustão no Brasil

Mais na Exame