• AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,52 1.72
  • ABCB4 R$ 16,65 0.79
  • ABEV3 R$ 14,21 1.21
  • AERI3 R$ 3,75 5.04
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,36 0.58
  • ALPA4 R$ 22,15 4.04
  • ALSO3 R$ 18,85 -0.79
  • ALUP11 R$ 26,51 -2.07
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,48 4.47
  • AMER3 R$ 21,50 -1.78
  • AMZO34 R$ 3,43 5.09
  • ANIM3 R$ 5,66 3.47
  • ARZZ3 R$ 81,38 2.42
  • ASAI3 R$ 16,30 3.69
  • AZUL4 R$ 20,95 4.38
  • B3SA3 R$ 12,43 4.37
  • BBAS3 R$ 37,45 -0.32
  • AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,52 1.72
  • ABCB4 R$ 16,65 0.79
  • ABEV3 R$ 14,21 1.21
  • AERI3 R$ 3,75 5.04
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,36 0.58
  • ALPA4 R$ 22,15 4.04
  • ALSO3 R$ 18,85 -0.79
  • ALUP11 R$ 26,51 -2.07
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,48 4.47
  • AMER3 R$ 21,50 -1.78
  • AMZO34 R$ 3,43 5.09
  • ANIM3 R$ 5,66 3.47
  • ARZZ3 R$ 81,38 2.42
  • ASAI3 R$ 16,30 3.69
  • AZUL4 R$ 20,95 4.38
  • B3SA3 R$ 12,43 4.37
  • BBAS3 R$ 37,45 -0.32
Abra sua conta no BTG

O mundo fica mais sem graça sem o Quino, o criador da Mafalda, morto hoje

“Pai” de personagens anônimos tão ou mais afiados que ela, o argentino Joaquín Salvador Lavado Tejón tinha 88 anos e teria sofrido um AVC na semana passada
 (Getty Images/Europa Press)
(Getty Images/Europa Press)
Por Daniel SallesPublicado em 30/09/2020 13:53 | Última atualização em 30/09/2020 22:56Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Morto hoje aos 88 anos, o argentino Joaquín Salvador Lavado Tejón, o Quino, ganhou fama mundial graças à impagável Mafalda. Mas reduzir seu legado à espevitada garotinha sem papas na língua, cujos livros foram trazidos para mais de 30 idiomas, configura uma tremenda injustiça. Sua obra é composta, afinal, de uma infinidade de personagens anônimos tão ou mais afiados que ela.

(Ediciones de La Flor/Divulgação)

A começar pelos colegas de escola da menina. Manolito, por exemplo, o protagonista de um genial cartum recente. Nele, a professora da turma começa dizendo o seguinte: "e quem não entendeu que levante a mão". No segundo quadrinho o garoto estende o braço o máximo que pode. "Vejamos, Monolito, que foi que não entendeu?", retruca a professora no quadrinho seguinte. "Desde março até agora nada!", devolve o rapaz, na cena final.

Estátua de Mafalda em Buenos Aires (Mario De FinaNurPhoto/Getty Images)

Quino virou craque em desenhar situações absurdas que resolvia às vezes só com uma breve tirada e em outras com verbetes caudalosos. Uma tirinha clássica mostra um sujeito sozinho numa ilha deserta. Lá pelas tantas ele clama aos céus: “Senhor, que tédio”. Ao que Deus envia um anjo incumbido de jogar baralho com o solitário personagem.

(Ediciones de La Flor/Divulgação)

A morte de Quino foi confirmada hoje por seu editor, Daniel Divinsky, fundador da Ediciones de la Flor, pelo Twitter. "Quino morreu. Todas as pessoas boas do país e do mundo ficarão de luto por ele", escreveu. O cartunista teria sofrido um acidente vascular cerebral (AVC) na semana passada (as causas oficiais da morte não foram divulgadas).

Criador das histórias em quadrinhos mais traduzidas da língua espanhola, Joaquín Salvador Lavado Tejón nasceu em Mendoza, na Argentina, em 1932 (em 2017, após a morte de sua mulher, Alicia Colombo, voltou a residir na cidade conhecida pelos vinhos). Não é exagero dizer que sem ele o mundo fica um pouco mais sem graça.