Casual

GWM vai lançar primeiro carro de luxo da marca no Brasil até o fim do ano; veja o modelo

Montadora chinesa vai trazer também modelo off road para o Brasil

Até o fim deste ano, a montadora chinesa vai trazer a divisão de luxo chamada de Wey (GWM/Divulgação)

Até o fim deste ano, a montadora chinesa vai trazer a divisão de luxo chamada de Wey (GWM/Divulgação)

Gilson Garrett Jr.
Gilson Garrett Jr.

Repórter de Casual

Publicado em 26 de abril de 2024 às 10h11.

Última atualização em 26 de abril de 2024 às 12h17.

Tudo sobreCarros
Saiba mais

DE PEQUIM, CHINA* - Após sucesso de vendas com a linha Haval, com 10.703 unidades vendidas no ano passado, a GWM se prepara para um novo momento de portfólio da marca. Até o fim deste ano, a montadora chinesa vai trazer a divisão de luxo chamada de Wey. O modelo escolhido para o Brasil deve ser o Wey 5 em versão híbrido plugin. Além do mercado de alto padrão, a marca também deve trazer modelos mais off road, com a divisão de Tank.

"Estamos apostando no híbrido, mas tem um elétrico que é o Ora. E o que entendemos é que o Brasil é de dimensões continentais e o híbrido não tem restrições. Tem um público do elétrico e por isso estamos trazendo os compactos. A versão plugin tem uma aceitação muito grande principalmente por conta da autonomia da bateria", explica Ricardo Bastos, diretor de relações institucionais e governamentais.

Como é o carro

A GWM escolheu o Wey 5 para entrar em uma briga de gente grande na categoria de elétricos e híbridos de luxo. A BWM, por exemplo, tem o i7, e a Audi tem o Q8 e-tron.

O modelo de luxo da GWM tem dois motores elétricos e um a combustão. Com câmbio automático, ele faz de zero a 100 quilômetros por hora em 5 segundos. Com motor apenas elétrico tem uma autonomia de 146 quilômetros. Na visão da GWM, isso garante que os consumidores brasileiros tenham um conforto e segurança na hora de pegar grandes distâncias.

O valor ainda não está definido mas deve chegar por aqui com preço em torno de 450 mil reais.

GMW Wey 05 (GWM/Divulgação)

Fábrica

A GWM pretende começar a produzir ainda este ano o primeiro carro da marca no Brasil. A fábrica em Iracemápolis, no interior de São Paulo, está passando por adaptações. Segundo Ricardo Bastos, em um primeiro momento a ideia era produzir uma picape, mas houve uma mudança de planos. "Estamos decidindo entre o Haval H6 e o H4", diz. Se isso se concretizar, seria o primeiro carro elétrico plugin produzido no país. A BMW também corre para ser a primeira nesta fila.

A capacidade instalada da planta será para 50 mil carros por ano, podendo chegar a 100 mil no segundo ano de operação. O executivo explica que serão 2.000 empregos diretos, além da criação de um centro de desenvolvimento de tecnologia que será instalado aqui no Brasil em um segundo momento.

*O jornalista viajou a convite da GWM

Acompanhe tudo sobre:CarrosChinaCarros elétricos

Mais de Casual

Aos 21 anos, Carlos Alcaraz chega a R$ 122 milhões em premiações após conquista de Roland Garros

Em jogo de mais de 4 horas de duração, Alcaraz derrota Zverev e é campeão de Roland Garros

Festival apresenta mais de 60 documentários musicais em SP

Diamantes de laboratório e inspiração na natureza: confira as tendências da joalheria

Mais na Exame