Casual

BMW quer produzir primeiro carro híbrido plug-in do Brasil em Santa Catarina; veja modelo

A expectativa é entregar os primeiros carros até o fim do ano. Se isso se concretizar, será o primeiro carro híbrido plug-in fabricado no Brasil

BMW X5: versão escolhida para ser produzida no Brasil é a xDrive50e (BMW/Divulgação)

BMW X5: versão escolhida para ser produzida no Brasil é a xDrive50e (BMW/Divulgação)

Gilson Garrett Jr.
Gilson Garrett Jr.

Repórter de Casual

Publicado em 10 de abril de 2024 às 15h50.

Última atualização em 10 de abril de 2024 às 16h07.

A BMW tem uma meta global de aumentar cada vez mais a eletrificação dos novos carros vendidos no mundo. No caso do Brasil, um dos entraves é a quantidade de carregadores disponíveis e a distância entre as maiores cidades do país. Para garantir que o objetivo mundial seja alcançado, sem perder a liderança de vendas em mercados importantes, como o brasileiro, a alemã aposta nos modelos híbridos. Tanto é que decidiu montar na fábrica de Araquari, em Santa Catarina, o X5 híbrido plug-in. Atualmente ele é importado dos Estados Unidos.

O anúncio foi feito nesta quarta-feira, 10, com a presença de executivos de alto escalão da montadora. A expectativa é entregar os primeiros carros até o fim do ano. Se isso se concretizar, será o primeiro carro híbrido plug-in fabricado no Brasil.

Outras montadoras, como a Caoa Cherry e a BYD, tentam correr para contra o tempo para serem as primeiras, mas ainda dependem de mudanças da fábrica, no caso da Caoa Cherry, e de construção de toda a linha, no caso da BYD. Com o sistema plug-in, a bateria pode ser carregada na tomada, aumentando a eficiência energética.

O que conta a favor da BMW é que a fábrica em Santa Catarina tem um modelo mais flexível que pode ser adaptado mais facilmente. Atualmente a planta produz 10 mil unidades por ano mas tem capacidade de 30 mil. São montados por aqui alguns modelos de sucesso como o X1, o X3 e o X4.

"Essa flexibilidade é a base da nossa estratégia. É a única fábrica que produz carro a combustão, flex e híbrido plug-in", explica Michael Nikolaides, diretor de produtos e logística do grupo BMW.

Como é o X5

O novo X5 chegou ao mercado há cerca de um ano com motorização totalmente reformulada. Um motor a gasolina de 6 cilindros em linha de 313 cv e um novo motor elétrico de 197 cv se unem para desenvolver 489 cv de potência combinada – um aumento de 96 cv em relação ao modelo anterior – e torque combinado de 700 Nm, um aumento de 100 Nm sobre o antecessor.

Integrado na transmissão Steptronic Sport de oito marchas, o motor elétrico utiliza um novo sistema pré-engrenagem para melhorar a entrega de torque e contribuir para um desempenho ainda mais esportivo para o modelo. O BMW X5 xDrive50e acelera de 0 a 100 km/h em apenas 4,8 segundos. No Brasil, o carro custa R$ 731.950 e vai continuar com este mesmo valor com o modelo produzido no país.

15 carros até o fim do ano

Para este ano, a meta do Grupo BMW, que inclui Mini e Rolls-Royce,  é crescer 5% e lançar 15 novos modelos, sendo seis Mini (em 2023 foram dez modelos no total). O Brasil está um pouco atrasado em relação a outros países com os novos carros da marca. Neste ano, o foco é trazer as novas gerações. Todos os carros Mini serão elétricos até 2030. Somente no primeiro trimestre as vendas na América Latina registraram um aumento de 10,7%, comparando com o mesmo período do ano passado.

O i5 abriu o ano de novidades da BMW no Brasil e desembarcou em março. Foi o primeiro carro da Série 5 por aqui e que já chegou seguindo a estratégia global de eletrificação. Depois chegará uma versão híbrida. Também devem estar na esteira de novidades o BMW X2 e o BMW iX2. Os novos Mini Cooper elétricos e Mini Countryman elétricos estrearão na América Latina neste ano.

Acompanhe tudo sobre:BMWCarros híbridosCarros

Mais de Casual

Com modelo de franquia, Evino quer chegar ao fim do ano com 30 lojas no país

Jantares beneficentes: confira ações de restaurantes para ajudar o Rio Grande do Sul

Plano mais caro de academia no mundo custa US$ 3 mil por mês

Próxima geração do canivete suíço não terá faca, diz Victorinox

Mais na Exame