Grande Hotel Termas de Araxá: de patrimônio histórico a resort cinco estrelas

Com reformulação por Facundo Guerra, empreendimento terá diária a R$ 1.700 com café da manhã e almoço durante soft opening
Arquitetura recebeu projeto da agência Regular Switch (Grupo Tauá/Divulgação)
Arquitetura recebeu projeto da agência Regular Switch (Grupo Tauá/Divulgação)
G
Gabriel AguiarPublicado em 06/09/2022 às 08:00.

Como reinventar um empreendimento tradicional como Grande Hotel Termas de Araxá – fundado em 1940 e considerado patrimônio histórico em Minas Gerais – para subir de categoria e se tornar um resort de alto padrão? Para começar, pelo dream team dos consultores: o empresário Facundo Guerra estará à frente do plano de reposicionamento, enquanto especialistas assumem diferentes postos (desde arquitetura até gastronomia) para garantir a classificação de cinco estrelas.

VEJA TAMBÉM

Com 33.300 m² de construção em meio a 450.000 m² de terreno, o hotel tem, desde a inauguração, detalhes que correspondem à nova missão, como piso de mármore Carrara, colunas revestidas com mármore Travertino, lustres de cristal e jardins assinados por Burle Marx. Mas haverá intervenções da Regular Switch, agência focada em design multicultural com escritórios em São Paulo e em Lyon, na França, para adequar o projeto sem comprometer as características originais do edifício.

Grande Hotel Termas de Araxá

Parte dos 33.300 m² de construção tem pisos de mármore Carrara (Grupo Tauá/Divulgação)

Na estrutura (quase) megalomaníaca, o Grande Hotel Termas de Araxá tem desde cinema com 450 lugares e possibilidade para funciona como teatro – graças ao palco interligado a camarins – até 26 espaços de evento. E, apesar dos 278 apartamentos, o soft opening planejado para 30 de setembro prevê inauguração com 50 quartos, enquanto os demais serão reformados posteriormente, sempre com pinturas da francesa Dominique Jardy, que também já decorou o Copacabana Palace.

Grande Hotel Termas de Araxá

Projeto elevou status do hotel com foco em experiências (Grupo Tauá/Divulgação)

Em relação à gastronomia, o comando é de Helbert Moura, formado em cozinha francesa (mas com referências brasileiras nas receitas), que elaborou o cardápio com inspiração mineiras para serviços de buffet e à la carte. Por sua vez, toda coquetelaria será responsabilidade da premiada mixologista Michelly Rossy, considerada a melhor bartender de São Paulo pela Folha, com experiência em bares como Fel, Bar dos Arcos, Frank, Casa do Porco, Riviera e o finado Frank do Maksoud Plaza.

Grande Hotel Termas de Araxá

Quarto terá diárias de 1.700 reais durante a soft opening (Grupo Tauá/Divulgação)

Em relação aos pequenos cuidados, o Grande Hotel Termas de Araxá terá enxoval de apartamentos da marca Trousseau, considerada uma das principais referências de setor, enquanto os uniformes de colaboradores foram criados pelo estilista brasileiro Marcelo Sommer. Também será reformulado o serviço das termas, considerado um dos principais diferenciais da hospedagem, com colaboração da AMMAN, consultoria especializada em spas e incluir o conceito de “turismo de bem-estar”.

Grande Hotel Termas de Araxá

Paredes receberam pintura da artista francesa Dominique Jardy (Grupo Tauá/Divulgação)

Para manter vivas as histórias do empreendimento, a Interact Place desenvolveu um guia interativo com mapas e informações por meio de QR Codes e jornadas. Com mais de 100 pontos de interação espalhados em todo o hotel, a plataforma tem narração da jornalista e palestrante Leila Ferreira, de Araxá (MG), e conteúdo criado pela escritora Paula Febbe com detalhes de diferentes ambientes. E os turistas ainda terão acesso aos mapas especialmente elaborados para cada ambiente.

Conheça a newsletter da EXAME Casual, uma seleção de conteúdos para você aproveitar seu tempo livre com qualidade.