Casual

Estudo diz que mulheres correm mais riscos em acidentes de carro

Motivo é que equipamentos de segurança são desenhados para eles

As chances de uma mulher sofrer ferimentos graves, mesmo usando o cinto de segurança, é 47% maior que no caso dos homens (Dieter Joel Jagnow / SXC)

As chances de uma mulher sofrer ferimentos graves, mesmo usando o cinto de segurança, é 47% maior que no caso dos homens (Dieter Joel Jagnow / SXC)

DR

Da Redação

Publicado em 1 de julho de 2012 às 12h47.

São Paulo - As motoristas do sexo feminino são mais suscetíveis a sofrerem lesões graves e correm mais risco de morte quando envolvidas em acidentes. É o que aponta um estudo divulgado pelo American Journal of Public Health, um órgão que cuida de problemas ligados à saúde nos Estados Unidos.

O estudo afirma que as chances de uma mulher sofrer ferimentos mais graves, mesmo usando o cinto de segurança, é 47% maior que no caso dos homens. O motivo é que os itens desenhados para garantir a integridade dos ocupantes não foram projetados para proteger as mulheres, que costumam ser mais baixas e terem uma estrutura óssea mais compacta que os homens.

De acordo com o levantamento, os equipamentos de segurança são projetados para a parcela masculina da população pelo fato de os homens terem três mais chances de se envolverem em acidentes com consequências fatais. No entanto, estudos realizados nos últimos anos indicam que a incidência de mulheres envolvidas em acidentes vem crescendo ano após ano.

Acompanhe tudo sobre:acidentes-de-transitoAutoindústriaCarrosmobilidade-urbanaMulheresTrânsitoVeículos

Mais de Casual

Bar da Dona Onça terá menu degustação pela primeira vez

São Petersburgo se volta para turistas do Oriente

Após ter sido comprada por R$ 11,4 bi, Supreme é vendida para EssilorLuxottica por R$ 8,15 bi

Novo bar em SP de bartender influente e chef premiada é portal para a alta coquetelaria e boa comida

Mais na Exame