Bastidores: com grandes nomes do pop, Pirelli fotografa calendário de 2022

Produzido em apenas duas diárias, em LA e Capri, 48ª edição do calendário traz grandes nomes do pop, como Cher, Grimes e Kali Uchis fotografadas pelas lentes do roqueiro canadense Bryan Adams
 (Alessandro Scotti/Divulgação)
(Alessandro Scotti/Divulgação)
Por GabrielJustoPublicado em 06/08/2021 14:18 | Última atualização em 06/08/2021 16:30Tempo de Leitura: 19 min de leitura

Após uma pausa forçada pela pandemia, que inviabilizou a edição deste ano, a Pirelli voltou a produzir o seu tradicional calendário fotográfico, que anualmente reúne grandes nomes do universo da moda, das artes e da publicidade para exaltar a beleza feminina. Para esta edição, a 48ª, que será lançada em novembro, a marca convidou o fotógrafo e roqueiro canadense Bryan Adams, dono dos hits "Summer of '69", "Heaven" e "(Everything I Do) I Do It for You".

Com um músico por trás da câmera, as modelos retratadas também vieram do mesmo universo: Cher, Grimes, Jennifer Hudson, Normani, Rita Ora, Bohan Phoenix, Iggy Pop, Saweetie, St. Vincent e Kali Uchis são as estrelas da edição, cujo tema é "On the Road" ("na estrada" em inglês), em alusão ao lifestyle do qual essas artistas abriram mão no último um ano e meio, por conta da pandemia e, claro, à Pirelli, que fabrica pneus para carros, motos, caminhões e bicicletas desde 1872.

"Estar na estrada é algo que os músicos não podem fazer agora. Por isso, eu busquei trazer um pouco dessa sensação de estar "na estrada" para elas, encapsulando um pouco do que a vida poderia ser se nós pudéssemos viajar", explicou Adams em entrevista à EXAME. "Funcionou para a Pirelli, porque é o que eles fazem, e também para nós, afinal, todos queremos estar na estrada."

Justamente por ter sido produzido ainda em meio à pandemia, entre junho e julho deste ano, muito do calendário foi definido em função das restrições. Todas as fotos foram feitas em apenas duas diárias, uma em Los Angeles e outra em Capri, na Itália. E as cantoras foram selecionadas de acordo com a sua disponibilidade nessas datas e locais, evitando assim grandes deslocamentos.

O que você verá nesse calendário é que tentamos capturar diferentes momentos do dia, de manhã até a noite, para cada uma das cantoras. Uma delas acorda no hotel, a outra está treinando no hotel, a outra está no backstage, a outra após o show, viajando... Todas essas coisas que fazem parte da rotina do artista, mas que nós não vemos no palco. Cada uma tinha um cenário, e coube a elas interpretá-los e incorporá-los.

Bryan Adams

"Normalmente, para fotografar uma campanha ou uma revista, eu levo entre um e dois dias com cada modelo. Então, fazer quase todas elas em apenas uma diária foi realmente uma maratona", explicou o fotógrafo, que usou a outra diária para fotografar a rapper Saweetie em Capri. "Nesse caso, eu tive o dia todo para pensar e para deixá-la confortável. Mas em LA, eram no máximo três horas com cada uma delas. Eu tinha que estar extremamente bem preparado para executar o que eu tinha em mente, com os dedos cruzados para que tudo desse certo, afinal, eu apresentava a ideia na hora e eu precisava que elas topassem. Mas, felizmente, tudo correu bem."

O encontro de tantas estrelas do pop lembra um festival de música. Mas Como a ideia era justamente evitar contatos desnecessários, ainda que estivessem na mesma locação, no mesmo dia, as divas pop não puderam se encontrar. "Acho que a Kali Uchis e a Grimes tiveram um tempo juntas mas, no geral, todo mundo foi para casa assim que o ensaio acabou. Não fossem as preocupações com a covid, realmente, teria sido uma festa incrível", brincou Adams.

Tradição adaptada aos novos tempos

Publicado pela primeira vez em 1964 como um presente ultraexclusivo para, o Calendário Pirelli já teve 47 edições publicadas, fotografadas por 37 fotógrafos diferentes, incluindo Martyn Walsh, Terence Donavan, Herb Ritts e Mario Testino, que enquadraram grandes nomes do mundo da moda como Naomi Campbell, Cindy Crawford, Kate Moss, Karen Alexander e também as brasileiras Gisele Bündchen e Adriana Lima. A edição de 2005, inclusive, foi inteiramente fotografada em Ipanema e Copacabana, no Rio de Janeiro.

Por muito tempo, e refletindo os costumes da época, o The Cal hiperssexualizava suas modelos. Mas, com o avanço da pauta feminista, a produção incorporou os novos costumes contemporâneos e passou a se posicionar a partir de um conceito mais artístico, ficando mais próximo da arte do que das revistas masculinas dos anos 90.

"Os tempos mudaram e o calendário também. Hoje tem um status de obra de arte. A objetificação das mulheres não vai acontecer novamente, e o "On the Road" reflete esse espírito, indo na direção oposta", ponderou Adams na entrevista. "Nele, nós temos glamour, temos sensualidade e rock 'n roll, mas eu também tive a certeza de que as artistas saíram do set realizadas e deslumbradas com elas mesmas. Colocar o calendário nessa direção passa uma mensagem muito forte e estimulante."