Casual
Acompanhe:

Alec Baldwin pede arquivamento de processo por tiro fatal em set de 'Rust'

Advogados do ator disseram que o processo deveria ser rejeitado porque não havia evidências de que Baldwin ou qualquer um dos produtores tiveram intenção no incidente

 (Mike Blake/Reuters)

(Mike Blake/Reuters)

R
Reuters

25 de janeiro de 2022, 18h41

Os advogados de Alec Baldwin e de outros produtores do filme "Rust" estão pedindo a um tribunal que arquive uma ação civil movida por uma supervisora de roteiro que estava no set quando o ator acertou um tiro que matou uma diretora de fotografia.

Em ação protocolada no Tribunal Superior de Los Angeles na segunda-feira, os advogados disseram que a reivindicação de Mamie Mitchell deveria ser rejeitada porque não havia evidências de que Baldwin ou qualquer um dos produtores tiveram intenção no incidente. Baldwin era o ator principal e produtor do filme independente de faroeste.

Fique por dentro das principais notícias do Brasil e do mundo. Assine a EXAME

"Apesar da tentativa da autora de rotular as reivindicações como intencionais, nada nas alegações da autora sugere que algum dos réus cometeu intencionalmente conduta prejudicial", informa o documento.

Mitchell alegou em um processo aberto em novembro que Baldwin deveria ter verificado o revólver Colt .45 que ele estava segurando para se certificar de que não incluía munição real. Baldwin afirmou que o diretor assistente lhe disse que a arma estava "fria", ou segura de usar, e que ele não puxou o gatilho.

A diretora de fotografia Halyna Hutchins foi morta e o diretor Joel Souza ficou ferido quando a arma disparou enquanto Baldwin estava ensaiando no set de filmagem do Novo México.

Gloria Allred, advogada de Mitchell, disse na terça-feira que a ação deveria prosseguir.

Os produtores estão "tentando evitar explicar sua conduta perante um juiz e um júri em um tribunal", afirmou ela em comunicado.