Pipefy manterá home office até o fim do ano – e tem vagas abertas

A startup se junta a outras empresas e define que os funcionários não voltarão para os escritórios em 2020

Sem data definida para o fim da quarentena por conta do coronavírus, muitas empresas já adiam suas expectativas para o retorno ao escritório e decidem manter o home office até o final do ano.

No mundo, Google e Facebook revelaram recentemente que seus colaboradores ficariam em casa até 2021. No Brasil, a Pipefy, startup global de SaaS (Software as a Service), também definiu que ficará com os escritórios fechados até o fim do ano.

Segundo seu CEO Alessio Alionço, o que mais pesou para a decisão foi a segurança e saúde dos colaboradores.

“Com isso, não apenas estamos cuidando deles como também fazemos a nossa parte enquanto cidadãos para conter a pandemia. Estamos cientes dos diferentes impactos que o isolamento social pode causar e por isso montamos uma estrutura robusta de suporte financeiro e psicológico para garantir que a experiência de trabalho do time em casa seja tão benéfica quanto a do escritório”, comenta ele.

Outras empresas estão incorporando o home office como o novo normal na forma de trabalho: o Twitter e a empresa brasileira Zee.Dog decidiram que o trabalho remoto seria para sempre. Os funcionários podem escolher se trabalham em casa ou no escritório.

Crescendo mais de 300% ao ano, a Pipefy tem mais de 250 funcionários entre as sedes de Curitiba e São Francisco, nos EUA. E, no momento, a startup tem 13 vagas abertas nas áreas de marketing, vendas e tecnologia.

Os interessados podem se candidatar pelo site de carreiras da empresa.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.