O agronegócio está contratando e estes cargos têm maior demanda

Segundo dados exclusivos da Michael Page, as contratações no agronegócio cresceram 30%, mesmo com o impacto do coronavírus

Mesmo em meio a pandemia, o agronegócio está contratando. A consultoria Michael Page, especializada em recrutamento executivo de média e alta gestão, observou uma alta na demanda por executivos técnicos.

O levantamento da consultoria viu um crescimento de 30% na busca de profissionais qualificados no primeiro semestre de 2020 em relação ao mesmo período do ano anterior. A expectativa é que essa tendência continue no segundo semestre, com destaque para quatro cargos mapeados pela empresa.

“O Agro é um setor resiliente. Apesar do impacto da covid-19, vimos um aumento de contratação. E também vemos a continuidade da tendência, principalmente para profissionais técnicos, com conhecimentos de TI e com visão de negócios e relacionamento com clientes”, explica Stephano Dedini, gerente executivo da Michael Page.

O setor foi destaque na matéria “O Brasil que vai vem”, na capa da EXAME em julho. Segundo a reportagem, enquanto os demais setores da economia devem sofrer perdas amargas neste ano, o PIB do agronegócio deve crescer 2,5%, chegando a 728,6 bilhões de reais.

Em 2020, o setor deve ser responsável por quase 24% do PIB brasileiro, uma marca histórica. A safra de grãos, de 250 milhões de toneladas, também deve ser a maior registrada até agora.

O gerente da consultoria vê que o cenário positivo pode levar a novos investimentos em área de produtos e soluções de tecnologia, assim como no registro de produto em órgãos de vigilância. Junto com a valorização da área de vendas, profissionais com os perfis listados abaixo serão mais buscados.

“O Brasil deve ganhar um protagonismo na produção de alimentos do mundo. Esse mercado tem capacidade de crescimento forte e isso terá um impacto grande de geração de emprego”, comenta ele.

Os cargos mais quentes do agronegócio

Engenheiro de Aplicação e Suporte

O que faz: elo técnico entre cliente e empresa, desenvolvendo soluções de TI para garantir o melhor desempenho de máquinas e equipamentos no campo, desde drones, sistemas de TI, geomonitoramento e automatização.

Perfil: forte profundidade técnica em TI, eletrônica e mecânica. Capacidade de entender necessidades e customizações necessárias para cada cliente, com foco em resolução de problemas e melhorias.

Salário: de R$ 6 mil a R$ 11 mil

Motivo para alta: a conexão entre hardware e software tem sido foco de desenvolvimento de novos produtos e sistemas no setor do agronegócio, inclusive com várias startups do segmento.

Coordenador de Manutenção

O que faz: responsável por garantir disponibilidade dos equipamentos industriais, com viés de manutenção preventiva e preditiva, gerenciando custos e recursos de pessoas da área.

Perfil: além de conhecimento técnico profundo, é importante a gestão e liderança de equipes e turnos, com olhar de performance e foco em resultado.

Salário: de R$ 9 mil a R$ 12 mil

Motivo para alta: com o aumento da necessidade de desempenho industrial, aumento de volume e de turnos, a gestão preventiva busca o melhor desempenho dos maquinários, evitando paradas não-programadas. A gestão de times maiores tem se tornado tema recorrente em todos os subsegmentos do Agro.

Gerente Vendas ou Gerente de território

O que faz: os profissionais possuem forte conhecimento do dia a dia dos clientes e buscam soluções e equipamentos que podem melhorar o desempenho do cliente, tendo também papel de direcionar as estruturas de pesquisa e desenvolvimento para que os novos produtos sejam alinhados com as necessidades do mercado.

Perfil: visão técnica e de vendas, com ótimo relacionamento com o cliente final, além do olhar de soluções e transformação para fomentar a agricultura de precisão no cliente final.

Salário: de R$ 15 mil a R$ 20 mil

Motivo para alta: o movimento de aumento de desempenho no campo está diretamente ligado à capacidade de entrega de resultados, sendo um dos pilares para o crescimento do produtor. Estar próximo do cliente final e garantir o apoio e eficiência no atendimento são cruciais para os players do segmento.

Gerente de Produto e/ou assuntos regulatórios

O que faz: os profissionais são capazes de alavancar as áreas de negócios, melhorar desempenho operacional, além de trabalhar, desenvolver e registrar novos produtos no país.

Perfil: forte profundidade técnica no segmento de atuação da empresa, bom entendimento das leis e órgãos regulatórios do setor, além de entendimento da necessidade final do cliente, formam um profissional com a capacidade necessária para inovar produtor no setor.

Salário: R$ 20 mil a R$ 30 mil

Motivo para alta: o desenvolvimento de novas moléculas e produtos para a melhoria de desempenho no campo tem ganhado forte intensidade no mundo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.