Carreira

Quanto ganha um piloto de avião? Veja carreira e salário médio

Saiba tudo sobre a carreira do piloto de avião: quanto ganha, carga horária, como se tornar um e mais

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 10 de maio de 2024 às 09h50.

Tudo sobreGuia de Carreira
Saiba mais

A carreira de piloto de avião é uma jornada emocionante que desperta paixões desde a infância.

Neste artigo, exploraremos os caminhos que levam ao cockpit, desde a formação inicial até as habilidades avançadas necessárias para voar comercialmente.

Qual o salário de um piloto de avião?

O salário de um piloto de avião pode variar significativamente com base em vários fatores, incluindo o tipo de aeronave que pilotam, a experiência do piloto, o país em que trabalham, a companhia aérea para a qual estão empregados e até mesmo a rota que voam.

No Brasil, segundo dados do InfoJobs, R$ 14.050 ao mês é o salário médio aproximado de um(a) piloto de avião.

Um ponto importante para entender quanto ganha um piloto de avião é que, para os pilotos de companhias aéreas comerciais, os salários tendem a ser mais elevados, especialmente à medida que acumulam mais experiência e avançam em suas carreiras.

Em algumas partes do mundo, pilotos de companhias aéreas de renome podem ganhar salários bastante substanciais, incluindo benefícios adicionais, como alojamento subsidiado, plano de saúde e outras vantagens. É possível crescer na carreira, desde que se cultivem os hard skills e soft skills necessários.

No entanto, é importante notar que a profissão de piloto de avião pode exigir longas horas de trabalho, horários irregulares e períodos longe de casa, fatores que podem influenciar a percepção do valor do salário além dos números brutos. Esse é um ponto importante ao pesquisar salário de piloto de avião.

Quantas horas de trabalho por semana?

O trabalho do piloto possui uma legislação específica, que estabelece os direitos e deveres do aeronauta, incluindo questões como jornada de trabalho e limites de horas de voo. Além de saber responder “piloto de aviação ganha quanto?”, é preciso entender como é sua rotina de trabalho.

A profissão de piloto é regulamentada pela Lei nº 13.475/17, conhecida como a nova Lei do Aeronauta, que atualizou a lei Lei nº 7.183/84.

A lei estabelece limites específicos para a jornada de trabalho dos aeronautas, visando garantir que tenham períodos adequados de descanso entre os voos e não sejam submetidos a excesso de carga horária. Isso inclui limitações de horas de voo por jornada, por mês e por ano, além de garantir intervalos mínimos entre jornadas. Veja a seguir:

Art. 31. Aos tripulantes de voo ou de cabine empregados no serviço aéreo definido no inciso I do caput do art. 5º serão assegurados os seguintes limites de horas de voo e de pousos em uma mesma jornada de trabalho:

I - 8 (oito) horas de voo e 4 (quatro) pousos, na hipótese de integrante de tripulação mínima ou simples;

II - 11 (onze) horas de voo e 5 (cinco) pousos, na hipótese de integrante de tripulação composta;

III - 14 (catorze) horas de voo e 4 (quatro) pousos, na hipótese de integrante de tripulação de revezamento; e

IV - 7 (sete) horas sem limite de pousos, na hipótese de integrante de tripulação de helicópteros.

Além disso, há um limite máximo de horas de trabalho semanal e mensal para os aeronautas, incluindo tempo de voo, serviço em terra, reservas, sobreaviso e deslocamentos.

A rotina de um piloto consiste em seguir uma escala de voos, que inclui voos programados, reservas, sobreavisos, cursos e folgas. A legislação estabelece um limite de 80 horas de voo por mês e 800 horas por ano, em aviões a jato.

Qual a formação e como é o curso para pilotar aviões?

Para se tornar um piloto de avião, o primeiro passo é obter a carteira de Piloto Privado (PP). Os interessados devem ter mais de 18 anos, ensino médio completo e passar por um exame médico para obter o Certificado Médico Aeronáutico de 2ª Classe.

Após o exame médico, é necessário se inscrever em uma escola reconhecida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para o curso teórico de Piloto Privado. O custo do curso pode variar, podendo ultrapassar R$ 3.000 em algumas escolas.

O curso inclui disciplinas como Conhecimentos Técnicos, Meteorologia, Teoria de Voo, Navegação Aérea e Regulamentos de Tráfego Aéreo.

Após concluir o curso teórico e passar por uma prova da Anac, o aluno pode iniciar as aulas práticas de voo. São necessárias no mínimo 40 horas de voo, incluindo 10 horas de voo solo diurno, com pelo menos 5 horas de voo de navegação.

Após completar as horas de voo, o aluno pode realizar o exame de cheque com um piloto autorizado pela Anac. Aprovado no exame, o aluno se torna um piloto privado e está apto a realizar voos não remunerados em monomotores.

Para avançar na carreira, o piloto pode se tornar um Piloto Comercial (PC). Isso requer um novo curso técnico, com disciplinas semelhantes ao curso de PP, mas com foco na profissionalização.

Além disso, são necessárias no mínimo 150 horas de voo, incluindo voos como piloto em comando e voos de navegação. Após passar por uma prova teórica e prática da Anac, o piloto se torna um piloto comercial e está apto a trabalhar como piloto remunerado.

Além das licenças básicas, existem também habilitações adicionais, como o Voo por Instrumentos (IFR) e o Voo em Multimotor. Estas habilitações exigem treinamento adicional e provas específicas para cada uma delas.

Para seguir na carreira, existem outras certificações, como a de Instrutor de Voo (INVA) e a de Piloto de Linha Aérea (PLA). Cada certificação tem seus próprios requisitos e custos associados. O PLA é o topo da carreira, exigindo 1.500 horas de voo e uma certificação completa da Anac.

Vale lembrar que, além da formação obrigatória, vale a pena para qualquer profissional buscar outras habilidades para adicionar no currículo, como proatividade, gestão de projetos, foco na resolução de problemas e outras.

Quais os tipos de licença para pilotar avião?

Existem diferentes tipos de licenças para pilotos de avião, cada uma correspondendo a um nível específico de habilidade e qualificação.

O primeiro passo é obter a Licença de Piloto Privado (PP), que permite voar como piloto em aeronaves não comerciais. Para isso, é necessário ter mais de 18 anos e o ensino médio completo, além de passar por exames médicos e teóricos.

Com a Licença de Piloto Privado em mãos, o próximo passo é avançar para a Licença de Piloto Comercial (PC). Para isso, o piloto precisa acumular mais horas de voo e passar por um novo curso técnico, que aborda os mesmos tópicos do curso de Piloto Privado, mas com enfoque mais específico para a profissionalização.

Para quem busca uma carreira na aviação comercial, o caminho inclui a obtenção da Licença de Piloto de Linha Aérea (PLA), que requer um número significativo de horas de voo e experiência. Esta licença é obrigatória para atuar como comandante em companhias aéreas.

Todo esse treinamento e desenvolvimento serve para garantir uma qualidade profissional aos profissionais da área, garantindo voos mais seguros e com menos acidentes.

Você quer saber mais a respeito de carreira e vida profissional? Então leia nossos artigos abaixo para saber mais:

Acompanhe tudo sobre:Guia de Carreira

Mais de Carreira

Quais são os jargões mais utilizados no mundo corporativo?

O que o estagiário recebe quando acaba o contrato?

O que faz um auxiliar de produção?

Profissões na área de Humanas: conheça 5 oportunidades e tendências

Mais na Exame