Estas 3 técnicas podem te ajudar a evitar a fadiga de produtividade

A fundadora do JotForm, Aytekin Tank, apresentou táticas para reformular a ideia de que fazer muitas coisas ao mesmo tempo, ainda mais no momento que estamos passando, possa ser a melhor opção

Na última década, a humanidade criou uma relação um tanto quanto complicada com a produtividade. Especialistas, psicólogos e até executivos incentivam as pessoas a otimizar e maximizar nosso tempo ao ponto de atingirmos um "choque" de produtividade. E aí veio a pandemia.

Mesmo que para o Brasil o fim da pandemia da covid-19 não pareça tão próximo, alguns países já caminham em direção à normalidade. Vamos, aos poucos, nos perguntando: como deve ser a produtividade? Vamos tentar compensar o que parece ter sido um período "perdido"? Ou vamos, finalmente, descobrir como atingir uma vida com mais respiros, incluindo tudo o que perdemos durante mais de um ano de isolamento?

Segundo Aytekin Tank, fundadora do JotForm, agora é o momento perfeito para redefinir nossa visão de produtividade. "Costumo voltar à excelente definição do autor James Clear: 'muitas vezes presumimos que produtividade significa fazer mais coisas a cada dia. Errado. Produtividade é fazer coisas importantes de forma consistente. E não importa no que você esteja trabalhando, existem apenas algumas coisas que são realmente importantes'."

Segundo Tank, em vez de atingir metas intermináveis ​​ou empurrar o objetivo cada vez mais alto, devemos querer um progresso consistente. De acordo com os especialistas Teresa M. Amabile e Steven J. Kramer da Harvard Business Review, de todas as coisas que podem aumentar as emoções, motivações e as percepções durante um dia de trabalho, a mais importante é fazer progresso em um trabalho significativo. “E quanto mais frequentemente as pessoas experimentam essa sensação de progresso, maior a probabilidade de serem verdadeiramente produtivas a longo prazo.”

A fundadora do JotForm apresentou, em sua coluna no site da Fast Company, três táticas simples que ela está usando para redefinir o que é produtividade, após um ano de grandes mudanças e difíceis perdas.

1. Dê quebras reais ao seu cérebro

Talvez você tenha tentado um detox digital, como evitar olhar o WhatsApp e o Instagram no sábado. É uma ideia inteligente, mas Tank acredita que precisamos reduzir drasticamente o que apresentamos para nossas cabeças durante toda a semana. Na década de 1990, a psiquiatra Nancy C. Andreasen denominou a sigla REST (pensamento silencioso episódico aleatório) para descrever a associação livre em que nosso cérebro se envolve durante o relaxamento silencioso.

Atualmente, Andreasen está estudando um pequeno grupo de artistas, cientistas, matemáticos e outros que trabalham com áreas que exigem do cérebro. Para muitos dos participantes, “deixar sua mente funcionar livremente é um grande recurso para a criatividade”, disse Andreasen ao The Washington Post. Em outras palavras, a produtividade requer um suprimento constante de pensamentos novos que surgem apenas durante o descanso. Precisamos reabastecer nossas estantes mentais se quisermos fazer um trabalho significativo.

2. Adote a “niksen”

Para reabastecer a mente ao longo do dia, Tank considera a mais recente filosofia de estilo de vida para seguir Hygge, Ikigai e Friluftsliv. Chama-se niksen: a arte holandesa de não fazer nada. Embora seja desconcertante pensar que precisamos de incentivo para ver o café ferver ou olhar pela janela, niksen é uma experiência rara para muitos de nós.

Ao terminar uma tarefa, pare por um momento antes de iniciar a próxima. Feche os olhos e sinta o sol no rosto. Escove os dentes sem rolar o Instagram. Faça o seu almoço em silêncio, se possível, sem ligações ou a companhia de um podcast. Há uma razão para tantas pessoas terem ideias brilhantes no chuveiro: sua mente tem alguns minutos preciosos para voar livremente.

Para Tank, é essencial recuperar pequenos períodos de tempo que podem ajudar a recalibrar a produtividade. "Observe as pessoas esperando em uma fila e fica claro que não fazer nada é quase um ato radical. Mas observar os pássaros ou relaxar em um banco de parque torna mais fácil lembrar que você não é uma máquina projetada para bater metas e produzir."

3. Descubra o que importa para você

Observe que o nome deste tópico não é "siga sua paixão". Quando ficamos obcecados com a produtividade, perdemos oportunidades diárias de sentir alegria, mesmo em pequenas doses. A pandemia nos lembrou o quanto a vida é passageira. Não podemos ignorar os prazeres simples, como tomar café com um amigo. O trabalho pode ser mais uma chance de explorar o que nos faz felizes. "É um privilégio, claro, mas quando você segue sua curiosidade, amplia suas habilidades e assume riscos criativos, o estresse diminui e você tem mais probabilidade de entrar em um estado de constância", afirma Tank.

Por fim, Tank aponta que a meditação é outra ótima maneira de explorar o que realmente importa. A esta altura, provavelmente é algo que deveria -- ou já está -- na sua lista, mas há uma razão para todos sugerirem: a prática de mindfulness ajuda. "Passar alguns minutos acompanhando sua respiração ou observando seus pensamentos se agitando na brisa acalma o cérebro. O que geralmente surge é um pouco de perspectiva. Talvez até um vislumbre de clareza sobre como e por que você está trabalhando, e o que poderia torná-lo melhor", conclui.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.