3 trabalhos comuns que os robôs já fazem melhor do que você - e como lucrar com isso

Os robôs estão prestes a tomar muitos empregos. E poucos calcularam com precisão as consequências - boas e ruins - da automação nos próximos anos
Até mesmo profissões que são executadas a partir da criatividade devem ser remodeladas (Fanatic Studio/Gary Waters/SCIENCE PHOTO LIBRARY//Getty Images)
Até mesmo profissões que são executadas a partir da criatividade devem ser remodeladas (Fanatic Studio/Gary Waters/SCIENCE PHOTO LIBRARY//Getty Images)
F
Future DojoPublicado em 03/11/2022 às 11:05.

Muitos enxergam a automatização dos empregos como algo ruim. E de fato, pode ser que nos próximos anos os robôs coloquem em “extinção” grande parte dos trabalhos hoje feitos por nós.

Em um artigo recentemente publicado, “Robots and Jobs: Evidence from US Labor Markets”, de um professor do MIT, descobriu que para cada robô adicionado por 1.000 trabalhadores nos EUA, os salários caem 0,42%.

E a relação emprego/população cai 0,2 pontos percentuais – até o momento, isso significa a perda de cerca de 400.000 empregos.

Mas isso pode ser uma boa notícia pra você, dependendo da forma que você lidar com isso. E o mais importante: mesmo que sua carreira não seja diretamente afetada pela automatização.

Você quer participar de um webinar gratuito e ficar por dentro das 5 maiores tendências pra crescer sua carreira em 2023? Clique no link a seguir mais e confira: Quero me inscrever no Webinar

Mas antes de falarmos sobre isso, vamos conferir… 3 trabalhos comuns que os robôs já fazem melhor do que você:

1. Barman:

Embarque em um cruzeiro da Royal Caribbean e você vai descobrir que seu coquetel de frutas é feito por um barman robô, ou melhor… um “Barbô”.

E os robôs podem fazer duas bebidas por minuto, até 1.000 por dia.

Você enche com ingredientes, percorre a lista de coquetéis que oferece (você pode personalizar isso para o que quiser) e pode fazer até 65 bebidas antes de precisar ser reabastecida; você pode até ensiná-lo a fazer coquetéis especiais.

2. Farmacêutico:

Na farmácia da Universidade da Califórnia, não é um ser humano que preenche as prescrições – é um robô.

Durante sua primeira fase, não houve erros nas 350.000 doses que o robô preencheu.

Além disso, os robôs podem fazer um trabalho melhor do que os humanos para garantir que a receita que um humano está pegando não interaja com outros medicamentos que ele está tomando.

3. Jornalista:

Claro, isso é apenas uma generalização. Mas os robôs provavelmente tomarão os empregos de alguns jornalistas em um futuro próximo.

Especialmente aqueles que se concentram em histórias com muitos números, como relatórios de mercado - e jornalistas esportivos que fazem muitas análises de números - podem estar em maior risco.

De fato, é possível nos assustarmos um pouco com o futuro. Mas isso depende da forma como você enxerga. Algumas pessoas vão ver isso como uma lástima. Algo que vai roubar oportunidades de nós, humanos.

Outras pessoas vão enxergar como oportunidade. Uma chance de se atualizar e ter carreiras com maior lucratividade aproveitando do trabalho automatizado.

É por isso que a Exame está promovendo, junto com a Future Dojo, um webinar gratuito para você. No qual você vai aprender com 4 especialistas em futurismo, as 5 maiores tendências para lucrar alto nos próximos anos.

Se você quiser se inscrever, basta clicar no link e garantir seu lugar: clique aqui para se inscrever no webinar