Bússola
Um conteúdo Bússola

Instituto Transformando Faces é referência em procedimentos estéticos faciais

A instituição tem grande foco na harmonização facial e já formou mais de 12 mil alunos ao redor do mundo

Brasil é segundo país mais visitado do mundo para turismo médico (Instituto Transformando Faces/Divulgação)

Brasil é segundo país mais visitado do mundo para turismo médico (Instituto Transformando Faces/Divulgação)

Bússola
Bússola

Plataforma de conteúdo

Publicado em 13 de julho de 2023 às 21h00.

Última atualização em 17 de julho de 2023 às 18h53.

O Brasil é o segundo país que mais realiza procedimentos estéticos, somados os cirúrgicos e os não cirúrgicos, atrás apenas dos Estados Unidos, de acordo com o mais recente relatório da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps, na sigla em inglês) divulgado em 2021. Foram mais de 1,9 milhão de intervenções em 2020, número equivalente a 7,9% do mercado global. O documento também revela que o país é o segundo mais visitado para turismo médico, o que reforça a competência e o conhecimento dos profissionais brasileiros, responsáveis por ensinar técnicas de aplicação para o mundo.

Em comparação com a cirurgia plástica, os procedimentos não cirúrgicos estão em alta por deixarem os pacientes com uma aparência mais natural, e serem mais acessíveis e seguros. Entre os mais procurados do momento está a harmonização facial. Trata-se de uma combinação de intervenções estéticas não cirúrgicas, em que substâncias como a toxina botulínica e o ácido hialurônico são injetadas sob a pele com o objetivo de melhorar a simetria e harmonia do rosto.

Para o professor de harmonização facial Adalberto Vale, um dos precursores do ensino da área no país, o mercado de estética tende a aumentar exponencialmente. Além de atuante no mercado, ele é criador da técnica que deu origem ao Instituto Transformando Faces e à Clínica Transformando Faces. O Instituto foi fundado em 2018 em Belo Horizonte e já capacitou mais de 12 mil alunos ao redor do mundo em treinamentos presenciais e virtuais desde então. 

Missão e valores no bem-estar

O primeiro contato do professor com a área de harmonização facial aconteceu em 2010 após ter passado por um procedimento. “Ao experimentar os benefícios da harmonização facial, despertou em mim um interesse profundo nessa área. Percebi o poder que a harmonização facial tem de elevar a autoestima e melhorar a qualidade de vida das pessoas. A partir desse momento, decidi me dedicar ao estudo e ao aprimoramento nesse campo para poder oferecer esses benefícios aos meus pacientes”, relata.

Para Adalberto, ensinar as técnicas desenvolvidas tem um sentido ainda mais pessoal. "Eu ficava cada vez mais feliz com os resultados que conseguia e pensei que se eu pudesse passar esse conhecimento adiante o mundo inteiro iria se beneficiar". O profissional estudou diferentes técnicas ao longo de incessantes quatro anos para chegar em um resultado simples e de fácil execução. O produto final é o grande diferencial do Instituto Transformando Faces: um ensino de fácil aprendizagem e sem maiores complicações. 

Ele então começou a compilar e a desenvolver uma técnica apurada, com metodologias “ágeis” e de fácil compreensão para permitir que os profissionais aprendessem em poucos dias o que levou anos para concluir. Em 2018, Vale fundou o instituto em sociedade com a também CEO, Daisy Alves.

Os outros irmãos de Alves – Igor, Cindy e Ritchie, aprenderam a técnica com Adalberto e hoje os cinco são sócios da Clínica Transformando Faces, fundada em 2019, e que tem endereços em Belo Horizonte e São Paulo. De acordo com o professor, a estruturação da clínica também proporciona os resultados de excelência. “Para além da técnica, o diferencial está na composição da equipe. Todos atuam em diferentes áreas, fato que mantém uma interação constante para entregar os melhores resultados e de forma natural aos pacientes”, explica.

Como é na prática?

Os cursos acontecem em um ambiente prático e interativo, e contam com tradução simultânea em inglês e espanhol. Além da grande procura por brasileiros, existe um interesse significativo por parte de profissionais dos Estados Unidos, México, Chile, Argentina, Paraguai, Austrália, Israel e outros, segundo informações da escola. Podem ser certificados os profissionais com formação na área da saúde, autorizado pelo seu conselho.  As modalidades mais procuradas pelos alunos do instituto são: aplicação de toxina botulínica – o Botox e Preenchimento facial com ácido hialurônico.

O professor Adalberto Vale é criador da técnica que deu origem ao Instituto Transformando Faces (Instituto Transformando Faces/Divulgação)

Com a alta demanda, a instituição identificou uma oportunidade de cruzar fronteiras e ofereceu um curso imersivo de harmonização facial no cruzeiro WS On Board, que viajou da Flórida (EUA) às Bahamas no início de julho, além de ter sido ministrado por Igor Alves, sócio da clínica.

“Essa ação faz parte de nossos planos para o futuro de aumentar a visibilidade do instituto, para expandi-lo ainda mais e fortalecer nosso impacto na área da harmonização facial. Temos o objetivo de consolidar nossa posição como líderes na América Latina. Para isso, estamos comprometidos em garantir a excelência e a segurança nos procedimentos estéticos e faciais, a fim de contribuir para o crescimento e o avanço dessa área promissora”, avalia o professor.

O professor ainda destaca que, além do mundo dos negócios, o mercado da estética tem um papel importante na vida das pessoas, que é o impacto positivo na saúde mental. “A harmonização facial também se preocupa com a saúde e o bem-estar do paciente. A abordagem busca promover a saúde física, mental e social, e os resultados são personalizados, respeitando a individualidade e realçando a beleza natural de cada um”, conclui.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Andorinha promove formação gratuita para pessoas periféricas

NotCo apresenta novidades do plant-based na feira Naturaltech

Fundação Dom Cabral reúne organizações sociais em evento anual

Acompanhe tudo sobre:Clínicas estéticasCirurgia plástica

Mais de Bússola

Boom da IA: entenda como investimento nas startups tech cresceu 1045% vezes no 1º trimestre de 2024

Julian Tonioli e Leo Pinho: o cofre secreto dos negócios de aço e concreto

Por que o Brasil celebra o Dia dos Namorados em uma data diferente do resto do mundo?

Ivson Coêlho: por que mudança na MP 1227 pode trazer incerteza para o ambiente de negócios?

Mais na Exame