Um conteúdo Bússola

Hub de influenciadores passa 1 bi de visualizações e abraça licenciamento

Com Robin Hood e a Família Arqueira, Curta aposta em mercado milionário para diversificar receita
Robin Hood e os irmãos Beto Gamer e Hey Davi, a Família Arqueira, com Pedro Gelli (Divulgação/Divulgação)
Robin Hood e os irmãos Beto Gamer e Hey Davi, a Família Arqueira, com Pedro Gelli (Divulgação/Divulgação)
Por BússolaPublicado em 27/05/2022 12:57 | Última atualização em 27/05/2022 12:57Tempo de Leitura: 4 min de leitura

Os ativos são de gente grande: 19 influenciadores, mais de 121 milhões de usuários inscritos e 1,3 bilhão de visualizações mensais. Com apenas 11 meses de existência, a Curta, hub de influenciadores que promete revolucionar o modelo de negócios do setor, tornou-se o maior grupo de influenciadores do Youtube no Brasil e já fechou mais de R$ 7,5 milhões em parcerias.

Mas a empresa fundada por Pedro Gelli, o Gelli Clash, Vitor Rabello e Lucas Continentino quer mais: a se lança agora no mercado de licenciamento e importação de produtos para seus parceiros. Em dezembro, a startup estreou no mercado editorial com o Livrão do Lipão, sua primeira iniciativa para diversificar a receita.

O potencial do mercado de licenciamento é enorme. Em seu portfólio, a Curta tem hoje seis dos dez youtubers mais influentes do universo de Minecraft e promete novidades no elenco para breve.

Um desses nomes é Robin Hood Gamer, o criador que mais cresceu no YouTube brasileiro em 2021, segundo ranking divulgado pela plataforma. Sozinho, o creator reúne mais de 18 milhões de inscritos.

Robin é também membro da Família Arqueira, canal que divide com seus irmãos Beto Gamer e Hey Davi. Juntos são um fenômeno de audiência, com mais de 36 milhões de inscritos no Youtube, a maioria entre 6 e 12 anos. Entre os meses de março e abril, juntos, os irmãos somaram 478 milhões de visualizações no Youtube.

Robin, Beto e Davi são o retrato de uma geração de Youtubers que começou na plataforma com os games. Os irmãos, de Sorocaba, iniciaram sua trajetória em um PC antigo na casa de dois cômodos da família, 14 anos atrás, com o incentivo do pai e, em poucos anos, se tornaram um enorme sucesso.

“A Curta foi construída de criador para criador. Com o volume de conteúdos que temos que produzir diariamente para os nossos canais, a Curta entra como elo entre o influenciador e novos projetos e facilitadora nesse relacionamento. Isso conta muito. Somos amigos e parceiros”, afirma Gabriel Neto, o Robin Hood Gamer.

A Curta agora quer transformar esse ativo da família e de seus outros creators em produtos: livros, bonecos, jogos, camisetas. Trata-se de um mercado milionário. E o começo de uma nova frente de negócios para a Curta. Para isso, trouxeram a gerente de Licenciamento e Importação, Livia de Paula, profissional com mais 12 anos de experiência na área de marketing de produtos, gestão de marcas e comércio exterior. “Desenvolvemos um style guide para o Robin e a Família Arqueira e atualizamos toda a identidade visual deles para que o público reconheça ainda mais seus personagens favoritos”, diz.

Modelo diferente

Como influenciador, Pedro Gelli passou por várias agências, lançou seu próprio livro e conhece bem as agruras do mercado de influência. E trouxe para a Curta um jeito diferente de se relacionar com os influenciadores. "A ideia da Curta foi criar algo de influenciador para influenciador, que nos colocasse como protagonistas", diz.

Pedro e seus sócios Vitor e Lucas, também empreendedores, criaram uma nova forma de fazer negócios, em que os influenciadores são sócios nos projetos, um modelo de partnership, uma "não-agência", como gostam de dizer. "Sabemos exatamente o que não queremos ser. Não queremos esse modelo ultrapassado. Trabalhamos com parcerias", diz Gelli.

Isso não seria possível sem um modelo sólido de governança. "Trouxemos um aprendizado do mercado financeiro, com um modelo de partnership, padrões, modelos e processos, que dão segurança para todos os parceiros", diz Vitor.

Para Lucas Continentino, a Curta surgiu de uma lacuna, onde os influenciadores enfrentavam dificuldade de comunicação com as marcas e vice-versa. "Nosso modelo se inspirou nas dores dos influenciadores com o mercado, buscando o equilíbrio para o negócio fluir com qualidade e engajamento."

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Inscreva-se: assista grátis documentário sobre marketing de influência

Com Whindersson Nunes e Maísa Silva, Oi lança campanha de reposicionamento

Campanha da Granito com Rafael Cortez comemora vendas como gol