Bússola
Um conteúdo Bússola

Estudo revela: investir no bem-estar melhora resultados de empresas

De acordo com mais de 2.000 líderes de RH, benefícios de bem-estar oferecem retorno direto sobre o investimento, aumentam o engajamento, a retenção e a produtividade

Estudo do Gympass revela que a performance das empresas e a saúde dos funcionários estão diretamente conectados (Bússola/Divulgação)

Estudo do Gympass revela que a performance das empresas e a saúde dos funcionários estão diretamente conectados (Bússola/Divulgação)

Bússola
Bússola

Plataforma de conteúdo

Publicado em 19 de maio de 2023 às 13h00.

Estudo do Gympass, o  ROI do Bem-Estar, revela que a performance das empresas e a saúde dos funcionários estão diretamente conectados. A pesquisa é baseada em um levantamento com mais de 2.000 líderes de Recursos Humanos que estão investindo no bem-estar da força de trabalho em nove países, incluindo Brasil, Estados Unidos  e Reino Unido.

Em novembro de 2022, o Gympass lançou o precursor deste estudo, o Panorama do Bem-Estar Corporativo, que fez uma descoberta significativa: estamos em uma crise de bem-estar. Os colaboradores das empresas estão mais estressados do que nunca e passaram a exigir de seus empregadores recursos de saúde física e emocional para cuidar da sua saúde e qualidade de vida. Agora, o ROI do Bem-estar leva essa descoberta um passo adiante. O estudo descobriu que as organizações não podem mais separar o desempenho de seus negócios do bem-estar de suas equipes.

Empresas que oferecem apoio e recursos adequados para priorizar o bem estar dos colaboradores contam com uma força de trabalho mais feliz, engajada e produtiva. Essas companhias medem um retorno positivo dos investimentos que contribui diretamente para seus resultados, demonstrando como os benefícios abrangentes de bem-estar são vantajosos para os empregadores e seus funcionários.

O que a pesquisa descobriu globalmente sobre o ambiente de trabalho saudável?

  • 90% das empresas que mensuram os resultados dos programas de bem-estar veem um retorno positivo dos investimentos.
  • Companhias que mensuram o impacto dos seus programas de bem-estar descobriram que eles são muito ou extremamente importantes para aquisição de talentos (78%), satisfação (88%) e retenção (79%).
  • 85% dos líderes de RH avaliam que os programas de bem-estar diminuem o custo de atração e retenção de talentos e aumentam o engajamento das equipes.
  • 85% dos líderes de RH observam redução de afastamentos e licenças médicas como resultado de benefícios abrangentes de bem-estar.
  • 78% dos líderes de RH relatam que seus programas de bem-estar reduzem os custos com despesas de saúde.

O que os dados sobre ambiente de trabalho mostram no Brasil?

  • 97% das empresas brasileiras que mensuram o ROI dos seus programas de bem-estar veem resultados positivos.
  • Quase a totalidade dos participantes do C-Level defendem o bem-estar dos colaboradores, com 97% valorizando essas iniciativas.
  • 97% dos líderes de RH no país dizem que programas de bem-estar são muito ou extremamente importantes para a satisfação dos colaboradores.
  • 89% dizem que os benefícios de bem-estar são importantes para a aquisição de talentos e 86% dizem que são importantes para a retenção.
  • Já o C-Level enxerga de forma quase unânime o impacto dos benefícios de bem-estar, com 99% afirmando que eles são importantes para a satisfação dos colaboradores, 96% dizendo que são importantes para a aquisição de talentos e 96% dizendo que são importantes para a retenção.
  • 82% das empresas observam redução nos custos de plano de saúde e 88% atribuem aos programas de bem-estar uma queda no número de faltas no trabalho por questões médicas.
  • O C-Level também reconhece o potencial dessas iniciativas, 90% dos executivos consideram que eles são uma medida que traz redução de custos e 85% dizem que são uma vantagem competitiva.

“Os resultados da primeira edição do ROI do Bem-Estar mostram que há um consenso entre os líderes de RH de que é essencial priorizar o bem-estar dos colaboradores para garantir o desempenho das companhias. No entanto, muitos ainda têm dificuldade em calcular o retorno sobre o investimento”, afirma Priscila Siqueira, líder do Gympass no Brasil. “As empresas precisam entender que os investimentos em saúde, qualidade de vida e bem-estar são investimentos diretos nos negócios. Diante da crise de bem-estar que a força de trabalho enfrenta, as empresas que tiverem essa percepção terão sucesso no longo prazo e as que ignorarem essa realidade inevitavelmente ficarão para trás.”

"Empresas que priorizam a saúde e a felicidade dos colaboradores permitem que eles tenham o engajamento para se envolverem profundamente em suas atividades e entregarem melhores resultados”, diz Renato Basso, vice-presidente de Pessoas do Gympass. “Nós descobrimos que para a maioria dos funcionários o bem-estar é tão importante quanto o salário.”

Com uma lista de mais de 50.000 parceiros de bem-estar, incluindo ferramentas digitais como MyFitnessPal, Thrive Global e Headspace, além de milhares de academias e studios espalhados pelo Brasil e o mundo, o Gympass está capacitando milhares de empregadores globais com as ferramentas necessárias para apoiar as jornadas de bem-estar dos colaboradores.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Sustentabilidade empresarial passa pela gestão de pessoas

Evandro Tokarski: Sucessão na empresa familiar começa na infância

Pesquisa inédita sobre beijo mostra que GenZ é mais afetuosa

Acompanhe tudo sobre:Gympassqualidade-de-vidaRecursos humanos (RH)GestãoBem-estar

Mais de Bússola

Henrique Mazza: como a não linearidade está transformando o comportamento do consumidor

Gestão Sustentável: restaurar ecossistemas é reparar danos históricos e prevenir tragédias

Bússola & Cia: busca de seguro para veículos elétricos cresce 700% no país

Como a inteligência artificial pode revolucionar a educação no Brasil

Mais na Exame