Caged x IBGE: duas leituras no emprego

Coluna de Alon Feuerwerker analisa como os números do emprego divulgados hoje podem ser lidos de acordo com a conveniência política do interessado

Os números do emprego divulgados hoje podem ser lidos de duas maneiras, de acordo com a conveniência política do interessado. O desemprego continua alto, 14,1% no trimestre entre setembro e novembro, segundo o IBGE. Mas está em leve declínio desde a metade do ano passado (leia).

Já segundo o Caged, o Brasil conseguiu atravessar o ano 1 da pandemia sem reduzir o estoque de empregos formais. Até criou um tantinho a mais do que destruiu. Por outro lado, a não criação de empregos em quantidade mantém o desemprego alto, especialmente entre os jovens (leia).

O governo comemora os números, claro. E garante que comprovam a recuperação econômica em V (depois da queda aguda, retomada aguda). Já a oposição adverte que o fim do auxílio emergencial vai, entre outros prejuízos, comprometer o relançamento econômico.

É provável que a partir de fevereiro o Congresso se debruce sobre o tema da continuidade do auxílio, em algum grau. O governo já disse que aceita, desde que se cortem outras despesas. De todo modo, política à parte, 2020 não foi no fim das contas tão ruim assim na economia, para um ano de pandemia.

*Analista político da FSB Comunicação

Siga Bússola nas redes:  InstagramLinkedin  | Twitter  |   Facebook   |  Youtube 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.