Um conteúdo Bússola

Bússola Cultural: semana tem ‘Uma Mostra do Vale’ e Funk Orquestra

Confira toda quinta-feira sugestões da Bússola com o melhor da programação cultural de São Paulo
 (Divulgação/Divulgação)
(Divulgação/Divulgação)
B
BússolaPublicado em 17/03/2022 às 12:40.

Uma Mostra do Vale

A 1ª Mostra de Cinema do Vale do Ribeira, competição regional no formato online de 12 produções, conta com a participação de cinco filmes de médias-metragens e sete curtas-metragens. A programação exibe ainda a “Mostra de Longas” e a “Mostrinha” dirigida ao público infantil, ambas não competitivas. Os filmes foram selecionados entre 224 inscritos e são exibidos gratuitamente pela plataforma #CulturaEmCasa, gerida pela Organização Social Amigos da Arte. Entre os destaques, estão Bonecos da Mata Atlântica (direção Eduardo Alves), Hamlet em Necropolis (direção Maura Baiocchi, Wolfgang Pannek) de  São Lourenço da Serra, 3:03 (Lion Andreassa), de Ilha Comprida; Escalpelo (direção Thayná Torella), Registro e Lamarca em Cajati (direção Ana Paula Passos), Cajati. Embora pouco divulgada, a região do Vale do Ribeira de São Paulo,  rica em histórias e paisagens, foi declarada Patrimônio Natural, Socioambiental e Cultural da Humanidade pela Unesco em 1999.

#CulturaEmCasa, de 18 a 26 de março; acesse aqui

Banda Maglore no Teatro Sérgio Cardoso

Banda Maglore no Teatro Sérgio Cardoso (Duane Carvalho/Divulgação)

Uns baianos no Bixiga

O Palco Bixiga do Teatro Sérgio Cardoso recebe a banda baiana Maglore, que encerra a turnê de celebração dos dez anos do grupo que vai revisitar o repertório de quatros álbuns de estúdio e v’raios singles lançados. No set list, canções como ‘Me deixa legal’, ‘Mantra’, ‘Café com Pão’ e ‘Não existe Saudade no Cosmos’. O encontro faz parte da programação do teatro que traz para o centro de São Paulo a produção musical contemporânea brasileira. O projeto é uma iniciativa das produtores Mundo Giras e Difusa Fronteira, com apoio da Organização Social Amigos da Arte.

para a compra de ingressos, acesse o site do Teatro Sérgio Cardoso

Maria Callas

Maria Callas (Divulgação/Divulgação)

Um concurso

O Teatro Sérgio Cardoso realiza o 20º Concurso Brasileiro de Canto Maria Callas. No programa, destinado a cantores líricos brasileiros e latino-americanos, serão executadas obras de compositores clássicos como  Giuseppe Verdi e Antônio Carlos Gomes. Nesta edição, o concurso teve 98 inscrições — 75 de brasileiros e 23 de outros países da América Latina. Para a semifinal, foram selecionados 43 artistas de dez estados do Brasil e também da Argentina, Chile, Colômbia e México. Os vencedores serão anunciados no dia 3 de abril, domingo, em um recital que acontece a partir das 11h, também no Teatro Sérgio Cardoso, gerido pela Organização Social Amigos da Arte.

domingo, 27, às 11h; a entrada é gratuita e aberta ao público mediante reserva de ingresso pelo site da Sympla; mais informações, acesse aqui

Teatro e música em ‘A Moscou! Um palimpsesto’

Teatro e música em ‘A Moscou! Um palimpsesto’ (Divulgação/Divulgação)

“A Moscou!”

Com direção de Ada Luana, ‘A Moscou! Um palimpsesto’ é uma releitura contemporânea do clássico ‘As três irmãs’ de Anton Tchekhov. Em um diálogo caloroso entre o teatro e a música, quatro atrizes e dois músicos se propõem a compor uma versão do drama. O espetáculo explora as dificuldades que a ação do tempo impõe à vida e aos sonhos e revisitam o drama dos irmãos tchekhovianos, que sonham em voltar para Moscou, sem nunca conseguir.

disponível por demanda, pela plataforma #CulturaEmCasa, basta dar o play aqui

Filme conta história da menina negra que queria ser paquita da Xuxa

Filme conta história da menina negra que queria ser paquita da Xuxa (Divulgação/Divulgação)

Cores e botas

O Cine #CulturaEmCasa apresenta o filme “Cores e Botas”, com roteiro e direção de Juliana Vicente. Como parte da programação do mês da Mulher, o  curta-metragem de ficção da Preta Portê Filmes se passa na década de 1980 e conta a história de Joana. De família bem-sucedida, Joana tem um sonho comum a muitas meninas de sua escola: ser paquita do Xou da Xuxa. Ela tem seu sonho apoiado pela família, porém há um detalhe: Joana é negra e nunca houve uma paquita negra no programa.

já disponível pela plataforma e pelo aplicativo #CulturaEmCasa nas lojas da Apple Store e Google Play, por aqui

Os músicos do Funk Orquestra

Os músicos do Funk Orquestra (Divulgação/Divulgação)

Funk Orquestra

O Funk Orquestra, uma homenagem aos 30 anos do movimento funk no Brasil, foi criado em 2018 pelo DJ e produtor Fabio Tabach, e entrou para a história da música pop brasileira ao transformar o Rock in Rio 2019 em um grande baile. Tabach se juntou ao seu parceiro, Phabyo DJ, e ao regente Eder Paolozzi, que é regente titular da Orquestra Sinfônica Cesgranrio. A Funk Orquestra é formada por 15 jovens músicos participantes de projetos sociais em comunidades do Rio. No final do ano passado, a ViradaSP Online recebeu os músicos que fizeram uma grande apresentação e que hoje está disponível por demanda na plataforma #CulturaEmCasa.

para assistir, clique aqui

Show de Zeca Baleiro na ViradaSP Bertioga

Show de Zeca Baleiro na ViradaSP Bertioga (Divulgação/Divulgação)

Baleiro na Virada

Zeca Baleiro tem um show inteirinho gravado especialmente para a ViradaSP Bertioga e  que está disponível pela plataforma #CulturaEmCasa para quem quiser curtir o som de um dos principais músicos da música brasileira. Autor de uma obra marcada pelo equilíbrio entre a experimentação, as referências aos clássicos da MPB e a levada pop, o cantor maranhense tem mais de 20 anos de carreira e acumulou inúmeros prêmios e indicações, entre eles o Grammy Latino, o APCA e o Prêmio da Música Brasileira. Lançou 13 discos de estúdio, cinco CDs ao vivo, nove DVDs e vários projetos especiais.

acesse agora mesmo, clique aqui

Trecho da peça em exibição pela plataforma #CulturaEmCasa

Trecho da peça em exibição pela plataforma #CulturaEmCasa (Divulgação/Divulgação)

O Homem Elefante

O Panorama #CulturaSP apresenta a peça “O Homem Elefante”. Encenada pela primeira vez em 1977, no Teatro Hampstead, em Londres, a obra é baseada em uma história real e conta a relação entre John Merrick, um homem mantido como atração de um circo de “aberrações”, e Frederick Treves, cirurgião do Hospital Real de Londres. Merrick, maltratado pelo sádico Senhor Bytes, é apresentado como “O Homem Elefante” devido a suas deformidades corporais. Encenada por Cibele Forjaz, iluminadora, pesquisadora teatral e encenadora, e por Wagner Antônio, encenador e iluminador, a peça é uma reflexão sobre dignidade humana.

já disponível pela plataforma #CulturaEmCasa, acesse aqui

(Divulgação/Divulgação)

Dois em um

Em cartaz pela #CulturaEmCasa, a “OperATA”, dois espetáculos em um compostos por “Punaré & Baraúna” e “Ensaio Geral”. O primeiro ato é um musical autoral sertanejo sobre um triângulo amoroso. O segundo, uma celebração do amor através de histórias compartilhadas por uma pretensa orquestra. OperATA, ao mesclar lirismos e pulsões libidinais, convida o público a transitar por diferentes experiências do amor, unindo tudo e todos pela música. Dirigido pelo encenador Hugo Rodas e pela Agrupação Teatral Amacaca. Já disponível pela plataforma #CulturaEmCasa.

acesse já, por aqui

Documentário mostra a importância do graffiti como expressão artística da periferia

Documentário mostra a importância do graffiti como expressão artística da periferia (Divulgação/Divulgação)

Arte no Muro

O documentário fala sobre a relevância do graffiti, contada por seis  representantes dessa forma de expressão artística. Com direção de Onofre Bonesso Junior e trilha sonora do percussionista e compositor Caito Marcondes, a obra faz uma leitura de São Paulo e aborda como o graffiti é importante para ressignificar espaços urbanos, principalmente os da periferia, onde esta forma de expressão se revela como o primeiro ou único contato de muitos com a arte. O documentário ressalta a importância em ocupar todos os espaços, com intenção de interferir na paisagem da cidade, transmitindo ideias diferentes, crítica social e política.

acesse pelo YouTube, aqui

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedIn | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Carreira e maternidade: como me tornei uma líder melhor depois do João

O que já sabemos e o que esperar de um dos maiores festivais de inovação

Beatriz Leite: mês de março empoderando o quê?