Bússola & Cia: Estados apostam em dívida ativa contra a crise

Confira as novidades e informações exclusivas sobre economia e negócios na coluna semanal de notas da Bússola

Dívida de ouro

O fim dos recursos extraordinários da pandemia e a falta de receitas tributárias estão estimulando governos estaduais a discutirem a recuperação dos passivos de suas dívidas ativas. O estoque consolidado de todo setor público está em torno de R$ 4 trilhões, mas o percentual que pode ser realmente quitado fica perto de 20%. Há duas possibilidades na mesa para solucionar o problema da recuperação de passivos com indicadores muito baixos de retorno. O projeto de lei complementar 459/2017 tramita no Congresso Federal e permite a securitização da dívida ativa de estados e municípios, podendo gerar mais de R$ 100 bilhões em receitas extras.

Falta regular

O estado de São Paulo tem R$ 335 bilhões em dívida ativa e tentou esse caminho tempos atrás, mas por falta de regulamentação nacional foi obrigado a recuar diante de ações civis públicas. Oferecer títulos desse passivo no mercado secundário pode alavancar investimentos e melhorar a capacidade de realização de obras com geração de emprego e renda em todo país, viabilizando a retomada da economia. Outro caminho é transferir esses passivos à União, em garantia a operações de crédito proporcionais à parte recuperável. O que poderia melhorar a organização das contas públicas, pois muitos entes não têm capacidade administrativa para gerir esse problema. Ambos caminhos dependem do Congresso.

No azul

Caiu pela segunda vez consecutiva o número de brasileiros com dívidas em cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, crédito consignado, empréstimo pessoal e prestação de carro e de casa, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O endividamento do consumidor recuou 0,7 ponto percentual em outubro com relação a setembro. Hoje, 66,5% de famílias estão endividadas.

Muito além do som

A Huawei lança no Brasil, na próxima semana, o aplicativo Story Sign. Uma ferramenta gratuita para ensinar crianças surdas a lerem que reúne as palavras na Língua Portuguesa e mostra alguns correspondentes em Libras por meio de aplicativo. Essas crianças poderão entrar no mundo imaginário da literatura. A iniciativa conta com efeitos especiais de empresas que trabalham para Hollywood.

cinema

 

Tela grande

Os cinemas estão com as suas salas cada vez mais cheias desde a reabertura. Maior exibidor nacional com 271 salas no Brasil,  o Kinoplex registrou crescimento de 49% de público e 55% de renda no último final de semana de outubro em comparação ao início do mês, quando as salas do Rio foram reabertas. Com a reabertura das salas de São Paulo no dia 15, a rede registrou aumento de 36% em público e 51% em renda até 1 de novembro. "Tenet" foi o grande responsável por levar mais pessoas ao cinema nesse período (37% de público), seguido de “Os Novos Mutantes” (27%) e “Scooby!” (13%).

CNI alive

Desde o início da pandemia, a CNI já realizou mais de 113 lives, com mais de 120 horas de transmissão ao vivo sobre os mais diversos temas de interesse do setor industrial, como a reforma tributária, a retomada da economia e a oferta de cursos profissionais para ajudar os trabalhadores a driblarem o desemprego. Foram mais de 215 mil visualizações. É o esforço da entidade para se manter perto da base em tempos de pandemia.

Saúde interior

A Hospital Care investirá cerca de R$ 60 milhões na ampliação e aquisição de equipamentos médicos de última geração para o AUSTA  Hospital, de São José do Rio Preto, interior de São Paulo. A holding já gastou R$ 9 milhões no mesmo estabelecimento recentemente.

Novo CEO

O executivo Julio Zaguini é o novo CEO da Botmaker, empresa de tecnologia especializada em automação de vendas e atendimento a clientes. O mapa de ecossistemas de bots registrou crescimento de 68% em um ano, com mais que o dobro de mensagens trocadas entre robôs e pessoas. O impacto da pandemia na automação faz a empresa projetar o triplo do crescimento para 2021.

Imagem sem título

Black Friday

A Multiplan está lançando o marketplace do seu superaplicativo Multi em sete novos shoppings. A Companhia chega à Black Friday com 16 dos 18 empreendimentos administrados pela empresa integrados ao superapp. Começa o jogo com o Esquenta Black Friday, a partir do dia 23/11, com as ofertas promocionais do Lápis Vermelho. O aplicativo possibilita aos consumidores consultar as promoções com comodidade antes de ir ao shopping. São 44 mil produtos de diferentes segmentos disponíveis para compra pelo superapp.

Máquina de vender

A Renner implementou a instalação de vending machines na área de embarque da Estação São Bento do Metrô de São Paulo. Um mix de produtos foi selecionado para atender às necessidades dos consumidores que desejam praticidade, agilidade e conveniência. O cliente compra selecionando o produto desejado, cor e tamanho por um painel digital. O pagamento é por cartão de crédito ou débito. A Renner planeja expandir a novidade ainda em 2020 para mais estações de Metrô e também áreas de conveniência, como aeroportos, universidades e academias, além de shoppings onde a marca ainda não está presente.

Ser lidera no NE 

Um dos maiores grupos privados de educação do Brasil, a Ser Educacional concluiu nesta terça (3/11) a aquisição do Colégio Módulo, administrador da Faculdade de Juazeiro do Norte (FJN), do Ceará. A unidade conta com 2,1 mil alunos, distribuídos em 12 cursos. O valor da operação foi de R$ 24 milhões. O movimento reforça a posição de liderança da Ser Educacional no Nordeste, o que também se repete na região Norte.

Leilão on-line

O setor de leilões comemorou o parecer contrário do senador Roberto Rocha (PSDB-MA) ao projeto de lei complementar 175, que tenta regulamentar a profissão de leiloeiro público oficial. O texto restringia a atuação ao estado que concedeu matrícula ao profissional, dificultando leilões em vários estados, ainda mais com o uso da internet. Estudo da GO Associados sobre leilões automotivos mostra que, no formato 100% online, esse mercado tem um potencial de crescimento de até 35 vezes em cinco anos.

Leilão de imóveis

Mais da Bússola:

Produzir e preservar: desenvolvimento sustentável é o futuro da Amazônia

A mascote que virou digital influencer de ESG

O dia em três notícias

Siga Bússola nas redes:  InstagramLinkedin  | Twitter  |   Facebook   |  Youtube 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.